Avançar para o conteúdo principal

OS COBARDES SÃO O QUE SÃO!

Não podemos ter medo da verdade, doa ela a quem doer, nem muito menos compactuar ou caucionar a mentira, que nos dias de hoje tem ganho deferência e estatuto com a mesma facilidade e velocidade com que é reproduzida, como aquele cobarde que chamou boi a quem lhe deu um soco, não se sabe se com as patas anteriores ou posteriores, e depois vendeu o seu silêncio, como se não nada fosse, num pacto promíscuo entre os homens do futebol, sem carácter nem dignidade, onde se incluem jogadores, treinadores, presidentes, jornalistas, e demais agentes desportivos, como até a própria Liga e Federação, que não ligam nada a isto, e preferem manter o silêncio conivente e comprometido dos imbecis bem instalados e acomodados no poder dos gabinetes.

Até porque o boi, segundo a comunicação avençada cá do burgo, é um ser muito genuíno e autêntico, apesar dos episódios infelizes que vai repetindo e protagonizando.

Parafraseando o que diz o André Ventura: “Isto é uma vergonha! Isto é vergonhoso!”, que tanta celeuma levantou e deixou muito ofendido o Presidente da Assembleia da República, que reprovou a linguagem e o vernáculo utilizado, esquecendo outros bem piores e mais ofensivos que por ali se dizem, com a sua anuência e sem lhe acartarem tanta azia e desconforto.

Quando a segunda figura mais importante do Estado não acha uma vergonha e vergonhoso a tudo aquilo a que se referiu o deputado André Ventura, então também não achará vergonha e vergonhoso o que se está a passar na RTP pública, paga por todos nós, em que uma figurinha como Maria Flor Pedroso, directora da informação da estação e posta lá pelo Partido Socialista, faz censura e mordaça por auto-recriação, impedindo que alguns jornalistas, da equipa de investigação da Sandra Felgueiras, tenham liberdade para fazer peças jornalísticas, que de algum modo confrontem o Governo por causa de uma licença obtida para a exploração de lítio ou até às suspeitas de irregularidades no ISCEM, que não cumpria os requisitos para leccionar, agindo a dita directora em defesa e interesse próprios, quando se sabe que a senhora também ali foi professora assistente?

Então também não achará vergonha e vergonhoso com o roubo de material de guerra ocorrido no paiol de Tancos, e de todas as mentiras urdidas e forjadas por altas patentes do exército e do próprio ministro da Defesa para esconderem toda a verdade?

Então também não achará vergonha e vergonhoso que um seu familiar tivesse criado a Associação Feminista Capazes, da qual é presidente, e ande a mamar fundos comunitários para fazer palestras pífias e pindéricas sobre a igualdade de género?

Então também não achará vergonha e vergonhoso quando o primeiro-ministro António Costa se comprometa afincadamente a debelar o flagelo climático que afecta o planeta, quando, infelizmente, nem consegue evitar o flagelo dos incêndios de verão, no nosso país?

Então também não achará vergonha e vergonhoso que uma barcaça, com 8 marroquinos clandestinos a bordo, chegasse à costa portuguesa do Algarve, sem que tenha sido interceptada no mar alto e impedida de chegar a território nacional, sem se questionar onde está a segurança marítima de Portugal?

Não quero acreditar que esta alergia que Ferro Rodrigues demonstra por André Ventura se resuma a diferenças partidárias ou clubísticas, porque nem umas nem outras seriam motivo para tratamento tão desigual no Parlamento, mas como eu já acredito em tudo, resta-me apelar ao senhor presidente da Assembleia da República, que ao menos saiba ser isento e neutral, e cumprir as regras da democracia, que é para isso que lhe pagam um bom ordenado.

Tal como no futebol, também na política, há por aí gentinha a mais, que já cá não devia andar

 José Reis
Anterior
Prev Post
Seguinte
Next Post

1 comentários

  1. A vergonha ou a falta dela começa com a nomeação dessa peça para segundo da hierarquia nacional!
    Isto sem entrar em questões de cores partidárias, porque para mim é tudo farinha do mesmo moinho!
    E no futebol, olhe-se a quem senta o rabo nos cadeirões e concluímos que a coisa é transversal.
    O que infelizmente leva a pensar que, mudando-se as moscas, a merd@ será a mesma!
    Quem manda usa aventais, e pronto!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário



Mensagens populares

Este é o Benfica atual

O mal do Benfica é geral, é uma doença que atravessa todo o clube.  Reparemos: apesar de um orçamento global muito avultado para o país que somos, temos a seguinte situação:  - futebol masculino: perdemos vergonhosamente o campeonato e a Taça de 2020; estamos em terceiro lugar, a 4 pontos do primeiro, com duas derrotas vergonhosas nos dois últimos jogos; da Europa, nem vale falar; 

Exmo. Sr. Luís Filipe Vieira

Seguindo-lhe os passos vou enviar-lhe esta carta, não para me queixar de arbitragens, de falta de penaltis, de escassez de golos, de Covid, de escorregões e de outras desculpas esfarrapadas e escarrapachadas  ao estilo rasca de uma qualquer banda desenhada de vão de escada, num dos valores que em tempos a sua leitura elevava o Benfica e orgulhava os benfiquistas – o jornal “O Benfica”.  

Saia mais uma dose de batatas para o Celestino Mouco...

Esta prosa é apenas para um ex-amigo que tive a desdita de conhecer na minha terra natal, ( há horas do diabo...)  fanático do Vieira e do oxigenado que normalmente anda sempre a cheirar-me o rabo.  A cada traque mal cheiroso que dou, toma-o como se Chanel nr. 5 se tratasse.  Caro Celestino Mouco; há dias entraste no meu quintal e zurravas para que eu falasse das 3 batatas que o clube do jorge jesus deu ao Belenenses mas, esta noite, o teu vieira enfardou mais um saco de batatas  em Alvalixo.  O que te  valeu dares 3 batatas ao Belenenses? Bastava 1 batata e guardava 2 batatas para esta noite!  Estamos agora a 9 sacos de batatas atrás do Sportém.  É muita batata, mas espera que por este andar, o batatal do teu vieira vai bater este ano o record da safra de batatas!!! Também estamos a 5 sacos de batatas de distância do Porto, quer dizer que o batatal do teu ídolo está batatando!!! Para chegar ao TITALO, é necessário recuperar 14 toneladas de batatas!  É muita batata para a pequena camio

Síndrome de Estocolmo

Os sócios do Benfica sofrem do Síndrome de Estocolmo, por isso lfv pode fazer ao Benfica o que fez ao Alverca ( Acabou com o clube) que a maioria Benfiquista continuaria apoiar e a defender vieira com toda a garra.  Brevemente seremos um Salgueiros, um Estrela da Amadora, um Alverca.

Cliente do Vieira? Não! Obrigado.

Porque recebi uma "intimação" para pagar as cotas, (apesar de já lhes ter devolvido o cartão) enviei à "empresa" do Vieira o seguinte email; Exmos Senhores,  Creio que já receberam no mês passado a devolução do meu cartão de sócio. A razão é esta; O Benfica tal como está, não passa de um clube do Vieira.. Portanto, não pretendo continuar nesse clube que conheci GLORIOSO outrora. 

Vieira saiu mas está vivo dentro do SLB. Só mudou o nome de Vieira para Rui Costa

Só um anjinho manipulado e bem embalado pela propaganda estipulada por Carlos Janela e colocada em prática por Pedro Guerras , Marinhos etc etc acreditava que Rui Costa ia terminar com a ditadura mascarada de democracia implementada por Vieira, Rui Costa e restantes membros da direção. 

Tirá-lo de lá é essencial, metam lá um qualquer que seja BENFIQUISTA

Um presidente corrupto, que não tem liderança, nem tal é possível, sabendo publicamente da sua incapacidade para gestão do seu património pessoal que neste momento se resume a um palheiro, única garantia para dívidas pessoais de milhões, a única garantia que tem é se manter no GLORIOSO,

NÃO HÁ FÓRMULAS DE ACABAR COM ISTO?

Existem duas “fórmulas químicas” que atormentam de momento o futuro imediato de Rui Costa: LFV e PSV. Até que ponto se demarcará de uma e lograr ultrapassar a outra, é a chave e o segredo para a descoberta da “combinação química perfeita” para o sucesso. 

AS 45 RAZÕES DE UMA LASCÍVIA IRRACIONALIDADE!

O jornal “O Benfica”, transformado hoje como o órgão oficial do regime vieirista, agora com mais tempo disponível para se dedicar a escrever lérias da treta e minudências disparatadas, possivelmente para compensar a escassez de vitórias e o jejum de títulos e troféus, que vão sendo cada vez mais raros de acontecer e de se darem à estampa como notícia principal, quer no futebol bem como nas