Avançar para o conteúdo principal

ERA UMA VEZ UM GRANDE CLUBE EUROPEU!

Os planos para a criação de uma superliga europeia irão inevitavelmente acelerar, como única resposta para a viabilização de novas formas de financiamento para os clubes de futebol, hoje por hoje, a braços com uma profunda depauperação das suas receitas, em consequência directa pela falta de adeptos nas bancadas, que obviamente lhes retira toda a carga vibrante e emotiva e o fulgor competitivo, desconhecendo-se até quando vão elas permanecer vazias e em completo silêncio. 

Esta espiral de muitas dúvidas e demasiadas incertezas, farão apertar ainda mais o colete de forças dos condicionalismos dos novos tempos que se avizinham, que por certo irão influir, e de que maneira, na capacidade de regeneração de alguns clubes, que sem o sustento cómodo dos direitos televisivos e das vendas de jogadores, nem o amparo das receitas de merchandising e de bilheteira, ficarão à mercê da quase extinção. 

Os maiores clubes europeus e também os mais ricos e poderosos, poderão, em última análise, ainda vir a beneficiar, por mais algum tempo, do seu estatuto e importância, em função e valor do ranking amealhado que ocupam na tabela. 

E se os mercados americanos, asiáticos e árabes, continuam a ser de escoamento para jogadores e treinadores que queiram melhorar as suas condições contratuais e de reforma, nunca o serão, a nível competitivo e desportivo, uma concorrência ao que o velho continente europeu tem para dar e oferecer. 

Completamente alheado destas novas realidades que já estão na forja para acontecerem e avançarem, o Benfica continua a dormir na parada, por falta inequívoca de uma voz de comando de uma direcção autista e desleixada, sem qualquer visão de futuro, que apostando na construção de plantéis fracos, conduziram ao acumular de más prestações feitas na Europa, pagando hoje a factura de um claro abaixamento de prestígio, que nos empurrou para um segundo nível competitivo, e perante uma crise tão grave e gravosa como a que estamos a atravessar, o Benfica corre um sério risco, assim como outros emblemas nas mesmas condições, de perder o comboio e ficar de fora desta futura superliga, levado na enxurrada como os demais distraídos, para patamares de pura insignificância. 

A criação de um novo modelo fechado por convite, que estará na génese desta superliga, poderá significar a morte lenta de clubes como o Benfica, se na prática, isto é, dentro das quatro linhas, nada se fizer, porque não basta dizer-se pomposamente que estamos 10 anos à frente, quando, na verdade, nas últimas duas décadas se andou vertiginosamente para trás, por culpa e responsabilidade de um presidente, que dispôs de todas as condições, de poder, com sucessivos mandatos que lhe conferiram os sócios, e financeiras, com vendas desenfreadas dos melhores jogadores sem serem compensadas por igual critério de qualidade nas compras, e o resultado está à vista: transformou um clube de futebol num mero entreposto negocial de uma rede de interesses e de influências que gravitam em torno do Benfica e que estrangulam a sua emancipação e desenvolvimento, que mais não têm feito e contribuído do que assinar a certidão de óbito de um grande clube europeu, que hoje já não se parece com nada, na descaracterização do símbolo e do encarnado das suas camisolas, à imagem de um presidente, absolutamente desprovido de moral e ética benfiquista e de competência para continuar a gerir os destinos do glorioso Benfica de Cosme Damião. 

Amo-te, Benfica! 
 José Reis
Anterior
Prev Post
Seguinte
Next Post

0 comentários



Mensagens populares

Limpinho, limpinho...

Barcelona sem Messi e na falência, foi esta noite uma pera doce para o Benfica que fez tudo para merecer esta gorda vitória e um passo gigante para a passagem na Champions, o que vem a dar mais uns milhares para os depauperados cofres do clube !!!

Este é o Benfica atual

O mal do Benfica é geral, é uma doença que atravessa todo o clube.  Reparemos: apesar de um orçamento global muito avultado para o país que somos, temos a seguinte situação:  - futebol masculino: perdemos vergonhosamente o campeonato e a Taça de 2020; estamos em terceiro lugar, a 4 pontos do primeiro, com duas derrotas vergonhosas nos dois últimos jogos; da Europa, nem vale falar; 

Exmo. Sr. Luís Filipe Vieira

Seguindo-lhe os passos vou enviar-lhe esta carta, não para me queixar de arbitragens, de falta de penaltis, de escassez de golos, de Covid, de escorregões e de outras desculpas esfarrapadas e escarrapachadas  ao estilo rasca de uma qualquer banda desenhada de vão de escada, num dos valores que em tempos a sua leitura elevava o Benfica e orgulhava os benfiquistas – o jornal “O Benfica”.  

Saia mais uma dose de batatas para o Celestino Mouco...

Esta prosa é apenas para um ex-amigo que tive a desdita de conhecer na minha terra natal, ( há horas do diabo...)  fanático do Vieira e do oxigenado que normalmente anda sempre a cheirar-me o rabo.  A cada traque mal cheiroso que dou, toma-o como se Chanel nr. 5 se tratasse.  Caro Celestino Mouco; há dias entraste no meu quintal e zurravas para que eu falasse das 3 batatas que o clube do jorge jesus deu ao Belenenses mas, esta noite, o teu vieira enfardou mais um saco de batatas  em Alvalixo.  O que te  valeu dares 3 batatas ao Belenenses? Bastava 1 batata e guardava 2 batatas para esta noite!  Estamos agora a 9 sacos de batatas atrás do Sportém.  É muita batata, mas espera que por este andar, o batatal do teu vieira vai bater este ano o record da safra de batatas!!! Também estamos a 5 sacos de batatas de distância do Porto, quer dizer que o batatal do teu ídolo está batatando!!! Para chegar ao TITALO, é necessário recuperar 14 toneladas de batatas!  É muita batata para a pequena camio

Síndrome de Estocolmo

Os sócios do Benfica sofrem do Síndrome de Estocolmo, por isso lfv pode fazer ao Benfica o que fez ao Alverca ( Acabou com o clube) que a maioria Benfiquista continuaria apoiar e a defender vieira com toda a garra.  Brevemente seremos um Salgueiros, um Estrela da Amadora, um Alverca.