Avançar para o conteúdo principal

Há que libertar o GLORIOSO !!!



Caros Sócios,

Apresento-me nestas eleições com um objetivo muito claro: o de devolver ao Sport Lisboa e Benfica aos seus verdadeiros donos, os Sócios.

Porque o Benfica não é um negócio, não é um projeto financeiro, não é uma infraestrutura, não é um entreposto de jogadores.

O Benfica é nosso!
De todos, para todos, com todos!
O Benfica é o adepto, a claque, o sócio, um emblema, uma cor, um estádio, uma história ... uma grande História! Mas é, também e acima de tudo, um ideal e uma forma de estar na vida e no desporto.

Um ideal cujos alicerces são os valores em que assenta o “ser do Benfica”. E esses valores são os que estão presentes desde a fundação do nosso Clube, desde 1904, há 116 anos.

Um ideal que assenta nos valores éticos e morais que devem estar sempre presentes, no desporto como na vida.

DESPORTIVISMO
Não interessa ganhar a todo o custo.
Interessa ser o melhor, porque o melhor geralmente ganha.
Há que ser, antes do mais, digno e honesto em campo, sem viciar resultados, quaisquer que eles sejam, qualquer que seja a forma por que o consigam.
Estes são os alicerces sólidos do “ser do Benfica”. Enquanto nos mantivermos fiéis a estes princípios, ganharemos sempre, porque sendo melhores, nunca perderemos com quem só sabe ganhar recorrendo a esses meios.
Por isso, temos a consciência de que, para quem é mesmo do Benfica, o único objetivo é ser o melhor, de acordo com as regras!
Cumprindo a lei!
E, com isso, ambicionar algo mais do que a vitória. Ambicionar vencer com mérito, ser unanimemente reconhecido, mas com a consciência tranquila!
Vitórias que assentem numa vontade de vencer sem limites, só conseguida em campo com uma entrega total dos atletas que representam o Benfica!

DETERMINAÇÃO
Foi esta determinação que tantas vezes nos fez alcançar o sucesso. Porque ela é, igualmente, uma marca distintiva reconhecida pelos simpatizantes e sócios do Benfica, mas, também, pelos nossos adversários.
Uma determinação que faz com que, sendo iguais aos nossos adversários, os consigamos ultrapassar porque nos conseguimos superar!
Uma superação que negue e rejeite elitismos, à imagem do que é - verdadeiramente - o Benfica.

TOLERÂNCIA
O Benfica foi fundado por jovens, alguns de poucas posses, outros da classe operária e ainda alguns estudantes. Não abundavam entre eles recursos financeiros e não havia apoios externos de ricos que facilitassem a vida de quem, já então, sonhava com a grandeza que temos hoje.
Apenas a grande vontade de jogar futebol e de competir com honestidade e dignidade. Mas essa realidade, a de não abundarem recursos financeiros, não impediu o Benfica de se tornar num dos maiores clubes do mundo.
Uma lição de vida, um exemplo de concretização, que nunca devemos esquecer.
Desde então que este espírito de grupo assentou numa lógica de inclusão, onde a principal condição de admissão era o benfiquismo, sem segregações de qualquer espécie.
Um benfiquismo que assenta na amizade, no companheirismo e no espírito de equipa. 

UNIDADE
Foi, desde o primeiro momento, a grande amizade e coesão do grupo de fundadores e jogadores do Benfica que tornou possível o ... Benfica!
Este pilar do “ser benfiquista” está bem patente no nosso emblema “et pluribus unum”.
No início do século XX, as pessoas perceberam que havia naquele novo Clube algo especial que resultava, sobretudo, da coesão do grupo. E dessa unidade inicial, dessa paixão por um - o Benfica - de entre todos (os outros) se construiu a nossa dimensão.

ECLETISMO
É outro dos valores em que se alicerça o ideal do Benfica. Negar o ecletismo é negar a essência do Benfica e desrespeitar o ideal em que o Clube se foi transformando. Por isso a não limitação dos valores do desportivismo a uma ou duas modalidades, mas, antes, a todas aquelas que os sócios decidiram em termos históricos praticar!

DEMOCRACIA
Por último, o ideal do Benfica - pela origem, pela natureza e pela história - tem de assentar na pluralidade de opiniões, no debate de ideias e na liberdade de expressão.
O Benfica foi uma das instituições pioneiras na prática da democracia em Portugal.
Um corolário importante deste aspeto é a consciência de que se “serve o Benfica” e não de que se “serve do Benfica”. Porque, no Benfica, ... apenas o Benfica não é efémero, só o Benfica tem o direito de permanecer nas nossas vidas até ao fim, só o Benfica é eterno!
E porque o Benfica vive para e do desporto, é do lado destes valores que queremos estar. Queremos estar do lado do ideal do desportivismo, mas também da determinação, da superação, mas igualmente da tolerância e da unidade, da vitória, mas conseguida com respeito pela democracia. Do lado do VERDADEIRO BENFICA.
Do Benfica que é de todos.
Queremos e vamos provar que estes valores não são memórias distantes de um Benfica romântico que já não existe. São valores sempre presentes na essência do Benfica e a verdadeira razão da grandeza do nosso clube. Para que nunca esqueçamos que o Benfica não é grande por causa das suas vitórias; as vitórias do Benfica é que se deveram, devem e vai continuar a dever à sua grandeza. Ignorar estes valores é virar as costas à grandeza do Benfica e, por conseguinte, hipotecar, de forma irremediável, a possibilidade voltarmos a alcançar grandes vitórias.
O Benfica é de todos e, juntos, vamos devolvê-lo aos sócios, aos adeptos, aos simpatizantes.

Não quero um Benfica de elites ou repartido, dividido, espartilhado entre grupos de influência.

Quero um Sport Lisboa e Benfica de todos, para todos, com todos.

Em Outubro escolha esse Benfica!

Porque o Benfica não é deles!

O Benfica é nosso!

Rui Gomes da Silva
Anterior
Prev Post
Seguinte
Next Post

1 comentários

  1. Independentemente de quem vencer as eleições se há algo que tenho a certeza é de que o clube sairá mais dividido que nunca!!!! Quem vencer tem de saber agregar todos em torno de uma causa e o S.L. Benfica tem de ser a causa! E os eventuais "derrotados" aceitarem os resultados e fazer também esforços de união !!!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Apoio de:


Aleatórios

Mensagens populares

As escutas do Apito Dourado foram totalmente legais

    Apito Dourado, a grande mentira das escutas   "Passaram esta quinta-feira 18 anos de um dos maiores escândalos da justiça e mais uns quantos da perpetuação de uma das maiores mentiras que alimenta o mundo do futebol."

A Máfia, a Maçonaria e o Apito Dourado

Costuma dizer-se que "a verdade é como o azeite, mais tarde ou mais cedo vem à superfície". Apareceu agora o testemunho do ex-juiz José Costa Pimenta, um antigo juiz reformado compulsivamente. A Maçonaria manda na justiça em Portugal. pulpuscorruptus.blogspot.com Mas a lei das escutas foi alterada, posteriormente em 2007 (governo Sócrates).

Carta à Cofina

Exmos. Senhores. Começo por vos dizer que sou um Benfiquista e sócio de 4 dígitos. A minha simpatia por tudo quanto é Cofina é nula...como nula é a vossa simpatia pelo meu Glorioso. Neste interim, estamos empatados. Quando estão disponíveis nos cafés, leio por alto as capas do CM, e no Record apenas aquelas duas páginas que dedicam ao Benfica. (normalmente são já notícias requentadas). O Record é mais pró-Sporting. Todos nós sabemos e isso até é o que menos me importa. Cada Jornal segue a linha que quiser. Só compra quem quer! Em casa, passo algumas vezes pela CMTV, mas como as notícias do "assassino" do "pedófilo" da "greve" do "homicida" dos "incêndios" etc etc.. se repetem, repetem, repetem até à exaustão, perco-lhes o interesse e mudo de canal. Mas é outro o assunto que me levou a escrever-vos. Os programas de desporto que vocês exibem todas as noites, onde a barulheira é tal que não se percebe nada do que dizem, a CMTV não