Avançar para o conteúdo principal

ELEMENTAR, MEUS CAROS!

Que tenhamos um poder político que recorrentemente ceda à política dos “lobbies”, para mais tarde beneficiar do retorno influenciador que esse gesto possa suscitar, já não é novidade nenhuma para ninguém, o que já me parece mais estranho, ou talvez não, é que aquilo que se decida no Terreiro do Paço tenha que ter a aprovação “urbi et orbi” obrigatória dos autarcas e forças vivas da Área “Napolitana” do Porto, que por históricos preconceitos provincianos de inveja em relação a Lisboa, não aceitem, ainda hoje, a sua irrelevância geográfica, quiçá, por culpa de Napoleão que não lhes deu cabo da arrogância e não os soube meter na ordem, ou então, por convicção e excesso de um liberalismo mal enxertado, com pontas de tiques regionalistas a precisarem urgentemente de serem desbastadas.

A intenção descarada com que o primeiro-ministro de Portugal se predispôs transferir o Infarmed, de Lisboa para o Porto, à revelia dos seus funcionários, que não seriam tidos nem achados nesta persecutória e tresloucada decisão, já não é novidade nenhuma para ninguém, mas diz-nos bem até onde pode ir a insensatez política do favor e a traficância promíscua do arranjo deferido por despacho, que por certo insuflariam a irritação e a indignação, se ainda por cá andasse, de Fernando Pessoa e todos os seus heterónimos, se achasse que ainda valesse a pena passar novamente pelo Martinho da Arcada e convocar as tertúlias de língua afiada, se entretanto a alma não fosse mais pequena que a indecência e a ignomínia que vão grassando pelo país.

Que haja nos confins desta Ibéria, uma nação valente e imortal para com os vigaristas e trapaceiros, que tenha menos sizo que o orçamento disponível para os seus desmandos e ainda se deia ao luxo e ao esbanjo de manter e sustentar um canal de clube endividado, como o Porto Canal, absorvedor de dinheiros públicos, já não é novidade nenhuma para ninguém, o que já não é aceitável e até faria abrir a boca ao Bocage para soltar alguns dos seus mais acintosos e apimentados palavrões, é que duas figurinhas camelas fossem a Belém blaterar por mais ajudas e financiamentos.

Que o centro de treinos e formação do Olival, construído pela vizinha câmara de Gaia e gentilmente cedido ao clube dos símios para usar por um período de 50 anos, ao pagamento de uma renda mensal irrisória e meramente simbólica que levaria 2.666 anos a liquidá-lo, já não é novidade nenhuma para ninguém, o que as narinas já não suportariam é este cheiro nauseabundo que exala das ligações e favorecimentos autárquicos que se medem à distância do despudor.

Que a retoma do campeonato se faça num número restrito de estádios escolhidos “à la carte” com a desculpa de se evitar pôr em pé uma pesada logística, já não é novidade nenhuma para ninguém, o que já não baterá a bolota com a perdigota é que os jogos de cada jornada se estendam por vários dias, o que faz supor que a preocupação da FPF e da Liga não seja propriamente a de consagrar um campeão e de salvaguardar a verdade desportiva, mas tão-só de evitar a falência anunciada da Sport TV, de Joaquim de Oliveira, e dos jornais desportivos, que já não sabem o que hão-de inventar para inverter tão trágico destino, que vão desde as repetições exaustivas de conteúdos enlatados até à oferta pindérica de baralhos de cartas e peças de dominó.

Que haja um clube falido a necessitar dos milhões da champions como do pão para o bandulho, para continuar a estrebuchar, já não é novidade nenhuma para ninguém, mas que não se iludam os prognosticadores de infortúnios e desgraças, que o “clube da vendetta” ainda se vai safar, nem que para isso tenham que pôr à venda a torre dos Clérigos e a ponte de D. Luís, possivelmente até com a intermediação e as boas graças da imobiliária Selminho.

Elementar, meus caros!

O que eles querem é um campeão por despacho e uma final da taça despachada do Jamor!

Amo-te, Benfica!
 José Reis


Anterior
Prev Post
Seguinte
Next Post

0 comentários

Apoio de:


Mensagens populares

Benfica, um novo rumo

O regresso de Jorge Jesus ao Benfica deveu-se a critérios não desportivos. A forte oposição que se perfilava para as eleições de 2020 a Filipe Vieira impunha uma aposta mobilizadora dos sócios.

Vieira pôs o Benfica na sargeta!

Desde há um ano que me afastei das "coisas do Benfica".  Até  devolvi o meu cartão de sócio por não me rever no que era o Benfica do vigarista Vieira;  logo eu, que era (e sou, basta ir lá levanta-lo...) sócio de 4 dígitos, qualquer coisa como 6 mil e picos.

FC Porto: Suspeitos de manipulação de resultados

Dirigentes do FC Porto são também suspeitos de manipulação de resultados. 15 jogadores envolvidos no esquema que envolverá Pinto da Costa. Fundos desviados da SAD do FC Porto terão também servido para financiar a alegada manipulação de resultados desportivos e actividades de dirigentes dos Super Dragões.

AS eleições no BENFICA foram uma fraude!

HOJE não existe BENFIQUISMO, existem interesses instalados, cujo cancro é LFV, agrilhoado ao poder por forças ocultas e de interesses materialistas, que pouco tem a ver com o BENFICA, o futebol conta pouco, aliás LFV nem gosta muito de bola, tal como os americanos do Manchester United, vai chegar o dia da revolta, pois tudo tem o seu tempo, nas última ELEIÇÕES os sócios tiveram essa oportunidade,