Avançar para o conteúdo principal

ELEMENTAR, MEUS CAROS!

Que tenhamos um poder político que recorrentemente ceda à política dos “lobbies”, para mais tarde beneficiar do retorno influenciador que esse gesto possa suscitar, já não é novidade nenhuma para ninguém, o que já me parece mais estranho, ou talvez não, é que aquilo que se decida no Terreiro do Paço tenha que ter a aprovação “urbi et orbi” obrigatória dos autarcas e forças vivas da Área “Napolitana” do Porto, que por históricos preconceitos provincianos de inveja em relação a Lisboa, não aceitem, ainda hoje, a sua irrelevância geográfica, quiçá, por culpa de Napoleão que não lhes deu cabo da arrogância e não os soube meter na ordem, ou então, por convicção e excesso de um liberalismo mal enxertado, com pontas de tiques regionalistas a precisarem urgentemente de serem desbastadas.

A intenção descarada com que o primeiro-ministro de Portugal se predispôs transferir o Infarmed, de Lisboa para o Porto, à revelia dos seus funcionários, que não seriam tidos nem achados nesta persecutória e tresloucada decisão, já não é novidade nenhuma para ninguém, mas diz-nos bem até onde pode ir a insensatez política do favor e a traficância promíscua do arranjo deferido por despacho, que por certo insuflariam a irritação e a indignação, se ainda por cá andasse, de Fernando Pessoa e todos os seus heterónimos, se achasse que ainda valesse a pena passar novamente pelo Martinho da Arcada e convocar as tertúlias de língua afiada, se entretanto a alma não fosse mais pequena que a indecência e a ignomínia que vão grassando pelo país.

Que haja nos confins desta Ibéria, uma nação valente e imortal para com os vigaristas e trapaceiros, que tenha menos sizo que o orçamento disponível para os seus desmandos e ainda se deia ao luxo e ao esbanjo de manter e sustentar um canal de clube endividado, como o Porto Canal, absorvedor de dinheiros públicos, já não é novidade nenhuma para ninguém, o que já não é aceitável e até faria abrir a boca ao Bocage para soltar alguns dos seus mais acintosos e apimentados palavrões, é que duas figurinhas camelas fossem a Belém blaterar por mais ajudas e financiamentos.

Que o centro de treinos e formação do Olival, construído pela vizinha câmara de Gaia e gentilmente cedido ao clube dos símios para usar por um período de 50 anos, ao pagamento de uma renda mensal irrisória e meramente simbólica que levaria 2.666 anos a liquidá-lo, já não é novidade nenhuma para ninguém, o que as narinas já não suportariam é este cheiro nauseabundo que exala das ligações e favorecimentos autárquicos que se medem à distância do despudor.

Que a retoma do campeonato se faça num número restrito de estádios escolhidos “à la carte” com a desculpa de se evitar pôr em pé uma pesada logística, já não é novidade nenhuma para ninguém, o que já não baterá a bolota com a perdigota é que os jogos de cada jornada se estendam por vários dias, o que faz supor que a preocupação da FPF e da Liga não seja propriamente a de consagrar um campeão e de salvaguardar a verdade desportiva, mas tão-só de evitar a falência anunciada da Sport TV, de Joaquim de Oliveira, e dos jornais desportivos, que já não sabem o que hão-de inventar para inverter tão trágico destino, que vão desde as repetições exaustivas de conteúdos enlatados até à oferta pindérica de baralhos de cartas e peças de dominó.

Que haja um clube falido a necessitar dos milhões da champions como do pão para o bandulho, para continuar a estrebuchar, já não é novidade nenhuma para ninguém, mas que não se iludam os prognosticadores de infortúnios e desgraças, que o “clube da vendetta” ainda se vai safar, nem que para isso tenham que pôr à venda a torre dos Clérigos e a ponte de D. Luís, possivelmente até com a intermediação e as boas graças da imobiliária Selminho.

Elementar, meus caros!

O que eles querem é um campeão por despacho e uma final da taça despachada do Jamor!

Amo-te, Benfica!
 José Reis


Anterior
Prev Post
Seguinte
Next Post

0 comentários

Apoio de:


Aleatórios

Mensagens populares

As escutas do Apito Dourado foram totalmente legais

    Apito Dourado, a grande mentira das escutas   "Passaram esta quinta-feira 18 anos de um dos maiores escândalos da justiça e mais uns quantos da perpetuação de uma das maiores mentiras que alimenta o mundo do futebol."

A Máfia, a Maçonaria e o Apito Dourado

Costuma dizer-se que "a verdade é como o azeite, mais tarde ou mais cedo vem à superfície". Apareceu agora o testemunho do ex-juiz José Costa Pimenta, um antigo juiz reformado compulsivamente. A Maçonaria manda na justiça em Portugal. pulpuscorruptus.blogspot.com Mas a lei das escutas foi alterada, posteriormente em 2007 (governo Sócrates).

Carta à Cofina

Exmos. Senhores. Começo por vos dizer que sou um Benfiquista e sócio de 4 dígitos. A minha simpatia por tudo quanto é Cofina é nula...como nula é a vossa simpatia pelo meu Glorioso. Neste interim, estamos empatados. Quando estão disponíveis nos cafés, leio por alto as capas do CM, e no Record apenas aquelas duas páginas que dedicam ao Benfica. (normalmente são já notícias requentadas). O Record é mais pró-Sporting. Todos nós sabemos e isso até é o que menos me importa. Cada Jornal segue a linha que quiser. Só compra quem quer! Em casa, passo algumas vezes pela CMTV, mas como as notícias do "assassino" do "pedófilo" da "greve" do "homicida" dos "incêndios" etc etc.. se repetem, repetem, repetem até à exaustão, perco-lhes o interesse e mudo de canal. Mas é outro o assunto que me levou a escrever-vos. Os programas de desporto que vocês exibem todas as noites, onde a barulheira é tal que não se percebe nada do que dizem, a CMTV não