Avançar para o conteúdo principal

O CHEIRO DO PETRÓLEO E O BRILHO DOS DIAMANTES!

Um dia, quis o destino, que Isabel dos Santos, filha do ex-presidente de Angola, fosse rica e poderosa, e que os poços de petróleo que descobriu nos jardins das suas mansões, mais as piscinas cheias de diamantes, fossem apenas uma consequência lógica e hereditária de uma herança divina, caída dos céus, sabe-se lá como, sem o anátema e a influência de um poder corruptivo, que galgou há muito as margens da razoabilidade e da decência, e o que era ainda ontem uma empresária de sucesso aos olhos de alguns governos e políticos proeminentes, hoje é vista, talvez por arremedos de más consciências e calculismos de momento, como uma mulher perigosa e enigmática, onde até já se repensam e se questionam avaliações de idoneidade e reputação.

A África que oscila entre a pobreza ínfima e degradante da maioria do povo e a sumptuosidade absoluta de meia dúzia de privilegiados, é a mesma que ao longo da sua história aceitou e fechou os olhos à conivente fatalidade destas assimetrias marcantes, não já por culpa e responsabilidade da presença de um poder colonial branco, entretanto já desmantelado e desaparecido, mas por imposição de etnias e castas angolanas ou de militares poderosos, ressurgidos sempre que há conflitos nas tomadas de assalto ao poder.

A rainha das fortunas inexplicáveis e dos avultados investimentos feitos um pouco por todo o mundo, sem que fossem devidamente referenciados e escrutinados até ao limite do escândalo, quanto às suas origens e intenções, revela bem o estado pantanoso em que caíram os capitais dos ratings e das bolsas de mercados, pré-anunciando formas de estar viciadas e coagidas perante a força do dinheiro, levadas a cabo por agiotas encartados e experimentados, que tanto se lhes dá saber como não, que ele seja limpo ou espúrio, desde que seja dinheiro é o que conta.

Coincidência ou talvez não, a maior parte das participações de investimentos feitos em Portugal por Isabel dos Santos, recaíram em empresas localizadas no norte do país, onde a EFACEC, o Grupo Amorim, o Grupo Sonae e a NOS, cheiram e tresandam a petróleo, mas como por ali também abunda o bafio das máfias e das camorras, os olfactos fétidos até se misturam e confundem-se no ar, passando assim quase despercebidos sem se notarem.

E se até hoje, para os mais incautos e distraídos, que ainda não tinham percebido os motivos e as razões pelas quais Rui Moreira decidiu um dia condecorar o marido de Isabel dos Santos com a medalha de ouro da cidade do Porto, talvez agora se perceba melhor a lógica e o sentido disto tudo, e os fios acabem por encontrar as meadas e as pontas soltas se comecem a unir finalmente, para nos ajudar a desmontar e a decifrar este enorme enigma, sabe-se lá por amor e alma de quem.

E o que dirá o comum cidadão do acordo de patrocínio estabelecido entre a Liga Portuguesa de Futebol e a NOS, que tem a maioria dos clubes profissionais da primeira e segunda ligas, presos e capturados a contratos televisivos de longa duração, através do monopólio da Sport TV, onde infelizmente o Benfica também se deixou enredar, pelo inebriamento do cheiro do dinheiro dos petróleos e do brilho ofuscante dos diamantes?

Com Isabel dos Santos sob investigações apertadas e em curso, e o mais que inevitável arresto das suas contas e bens, há já muitas empresas em Portugal a tilintar, não de frio mas de medo e muito nervosas ao que lhes possa vir a suceder.

Quando aqui alertámos, em tempo útil, para o erro crasso que o Benfica estava a cometer, quando inopinadamente LFV e DSO, encadeados pela ganância do dinheiro, celebraram um contrato de longa duração com a NOS, num negócio altamente lesivo dos interesses do Benfica, fizeram ouvidos de mercadores e levaram por diante as suas intenções.

Mas às vezes há males que vêm por bem, e esta talvez seja uma oportunidade única para devolver à BTV a autonomia e a capacidade, que já demonstrou ter, de sozinha e sem malignas companhias, gerar receitas próprias.

Amo-te, Benfica! José Reis
Anterior
Prev Post
Seguinte
Next Post

0 comentários



Mensagens populares

Este é o Benfica atual

O mal do Benfica é geral, é uma doença que atravessa todo o clube.  Reparemos: apesar de um orçamento global muito avultado para o país que somos, temos a seguinte situação:  - futebol masculino: perdemos vergonhosamente o campeonato e a Taça de 2020; estamos em terceiro lugar, a 4 pontos do primeiro, com duas derrotas vergonhosas nos dois últimos jogos; da Europa, nem vale falar; 

Exmo. Sr. Luís Filipe Vieira

Seguindo-lhe os passos vou enviar-lhe esta carta, não para me queixar de arbitragens, de falta de penaltis, de escassez de golos, de Covid, de escorregões e de outras desculpas esfarrapadas e escarrapachadas  ao estilo rasca de uma qualquer banda desenhada de vão de escada, num dos valores que em tempos a sua leitura elevava o Benfica e orgulhava os benfiquistas – o jornal “O Benfica”.  

Saia mais uma dose de batatas para o Celestino Mouco...

Esta prosa é apenas para um ex-amigo que tive a desdita de conhecer na minha terra natal, ( há horas do diabo...)  fanático do Vieira e do oxigenado que normalmente anda sempre a cheirar-me o rabo.  A cada traque mal cheiroso que dou, toma-o como se Chanel nr. 5 se tratasse.  Caro Celestino Mouco; há dias entraste no meu quintal e zurravas para que eu falasse das 3 batatas que o clube do jorge jesus deu ao Belenenses mas, esta noite, o teu vieira enfardou mais um saco de batatas  em Alvalixo.  O que te  valeu dares 3 batatas ao Belenenses? Bastava 1 batata e guardava 2 batatas para esta noite!  Estamos agora a 9 sacos de batatas atrás do Sportém.  É muita batata, mas espera que por este andar, o batatal do teu vieira vai bater este ano o record da safra de batatas!!! Também estamos a 5 sacos de batatas de distância do Porto, quer dizer que o batatal do teu ídolo está batatando!!! Para chegar ao TITALO, é necessário recuperar 14 toneladas de batatas!  É muita batata para a pequena camio

Síndrome de Estocolmo

Os sócios do Benfica sofrem do Síndrome de Estocolmo, por isso lfv pode fazer ao Benfica o que fez ao Alverca ( Acabou com o clube) que a maioria Benfiquista continuaria apoiar e a defender vieira com toda a garra.  Brevemente seremos um Salgueiros, um Estrela da Amadora, um Alverca.

Cliente do Vieira? Não! Obrigado.

Porque recebi uma "intimação" para pagar as cotas, (apesar de já lhes ter devolvido o cartão) enviei à "empresa" do Vieira o seguinte email; Exmos Senhores,  Creio que já receberam no mês passado a devolução do meu cartão de sócio. A razão é esta; O Benfica tal como está, não passa de um clube do Vieira.. Portanto, não pretendo continuar nesse clube que conheci GLORIOSO outrora. 

Vieira saiu mas está vivo dentro do SLB. Só mudou o nome de Vieira para Rui Costa

Só um anjinho manipulado e bem embalado pela propaganda estipulada por Carlos Janela e colocada em prática por Pedro Guerras , Marinhos etc etc acreditava que Rui Costa ia terminar com a ditadura mascarada de democracia implementada por Vieira, Rui Costa e restantes membros da direção. 

Tirá-lo de lá é essencial, metam lá um qualquer que seja BENFIQUISTA

Um presidente corrupto, que não tem liderança, nem tal é possível, sabendo publicamente da sua incapacidade para gestão do seu património pessoal que neste momento se resume a um palheiro, única garantia para dívidas pessoais de milhões, a única garantia que tem é se manter no GLORIOSO,

NÃO HÁ FÓRMULAS DE ACABAR COM ISTO?

Existem duas “fórmulas químicas” que atormentam de momento o futuro imediato de Rui Costa: LFV e PSV. Até que ponto se demarcará de uma e lograr ultrapassar a outra, é a chave e o segredo para a descoberta da “combinação química perfeita” para o sucesso. 

AS 45 RAZÕES DE UMA LASCÍVIA IRRACIONALIDADE!

O jornal “O Benfica”, transformado hoje como o órgão oficial do regime vieirista, agora com mais tempo disponível para se dedicar a escrever lérias da treta e minudências disparatadas, possivelmente para compensar a escassez de vitórias e o jejum de títulos e troféus, que vão sendo cada vez mais raros de acontecer e de se darem à estampa como notícia principal, quer no futebol bem como nas