Rui Costa e o Benfica | Em Defesa do Glorioso
Avançar para o conteúdo principal

Rui Costa e o Benfica

Rui Costa faz parte de um grupo restrito de ex-jogadores do Benfica com lugar especial no coração dos adeptos.

Não tanto pelo que fez no clube enquanto jogador, mas por, em momento conturbado, lhe ter sido leal, ter agido como seu embaixador oficioso num dos grandes palcos do futebol europeu - o italiano -, pelo vínculo afectivo que sempre ostentou com orgulho, e por ter regressado, incondicionalmente, quando o Benfica ainda fazia, angustiadamente, o “caminho das pedras”.

Graças à perspicácia de Eusébio, Rui Costa ingressou nas camadas jovens do Benfica, em 1981, aos 9 anos de idade - após quatro anos nas escolas do Damaia Ginásio Clube -, onde, durante oito anos, com os seus dotes pessoais, assimilou a singularidade e excelência que caracterizam o futebol do Benfica.

Findo o ciclo da formação, após uma época - 90/91 - ao serviço da Associação Desportiva de Fafe, onde permaneceu a título de empréstimo, a jovem promessa regressou ao “clube do coração” em 91, ano em que se sagrou campeão do mundo de sub-20 - em pleno Estádio da Luz contra a seleção do Brasil -, onde permaneceu até 1994, tendo então vencido uma Taça de Portugal - 92/93 - e um campeonato de Portugal em 93/94.

A qualidade do seu futebol, caracterizada pela superior cultura táctica, a elegância e inteligência com que se movia no terreno, a suavidade com que recebia e conduzia a bola, a eficácia que conseguia nos passes longos e no forte remate de meia distância, perfumava os relvados, para gáudio dos espectadores e orgulho dos benfiquistas.

Às qualidades futebolísticas, Rui Costa juntava um cavalheirismo invulgar, graças ao qual granjeou o respeito geral, dentro e fora do clube, entre colegas e adversários, entre os adeptos do futebol, independentemente da respectiva simpatia clubista.

Rui Costa pertence a uma estrita elite de jogadores de futebol que, intrinsecamente vinculados a um clube, alcançaram o respeito e admiração geral. O carácter leal de Rui Costa não vacilou no verão quente de 1993, quando, contrariamente a outros colegas - António Pacheco, Paulo Sousa e João Pinto - declinou o convite de Sousa Cintra - à época Presidente do Sporting - para rescindir o seu contrato com o Benfica e ingressar no clube de Alvalade.

Vivia-se então grande turbulência no clube da Luz, sob a presidência de Jorge de Brito, histórico e indefectível benfiquista, a braços com grave crise de tesouraria e um passivo de 4,5 milhões de contos - equivalente a 22 milhões de euros! Um gesto que nenhum benfiquista que viveu esses temos, esquecerá, reconhecido.



Referenciado na Europa, o “Maestro” ingressou na Fiorentina em 1994, onde, em sete temporadas, conquistou a admiração dos tiffosi, duas taças de Itália e uma supertaça, tendo sido considerado, por várias vezes, o melhor 10 do campeonato, no qual, ao serviço da Juventus, pontificava, nada mais nada menos, que Zinedine Zidane.

Memorável foi o ocorrido no jogo de apresentação da equipa do Benfica para a época 94/95, com a Fiorentina como equipa convidada, em que o “Maestro”, actuando pelos “violas”, se comoveu, às lágrimas, ao marcar o golo que daria a vitória à sua equipa. Algo que consolidou o vínculo afectivo ao clube e calou fundo no coração dos benfiquistas.

De Florença para Milão. Rui Costa, graças a uma transferência milionária - 35 milhões de euros -, ingressou no célebre clube “rossonero” onde se notabilizaram Baresi, Savicevitch, Boban e Cª, e onde, em cinco anos, conquistou uma Taça de Itália, uma Liga dos Campeões, uma Supertaça de Itália, um campeonato italiano e uma Supertaça UEFA, bem como a admiração unânime.

O futebol italiano, um dos mais prestigiados na Europa e no mundo, consagrou Rui Costa, para orgulho dos benfiquistas e adeptos portugueses em geral, como um dos príncipes dos relvados da sua geração.

Foi em 2006, pela mão de Filipe Vieira, que o “Maestro” regressou ao Benfica a custo zero, abdicando duma receita de cerca de 700 mil euros, correspondente a mais um ano de contrato, ao rescindir, amigavelmente, com o clube de Milão.

Vivia-se então, em Portugal, o rescaldo do sucesso, algo amargo, da Selecção nacional no euro 2004, no qual Rui Costa fez a última participação ao serviço da Selecção Nacional.

No Benfica, fustigado desde o verão quente de 93 por uma espiral de instabilidade, a construção do novo Estádio gerara uma nova esperança entre adeptos. Anunciava-se o saneamento financeiro e administrativo do clube e um projecto desportivo ambicioso, sustentado na credibilidade e no investimento em diversas infraestruturas.

O regresso do “Maestro” reforçou, junto dos adeptos, a esperança num futuro radioso para o clube.

Dois anos antes, na época de 2003/2004, o Benfica terminara um jejum de 11 anos do título de campeão nacional. Após duas épocas nas fileiras do clube da Luz, em que o perfume do seu futebol, mais uma vez, deliciou os adeptos, Rui Costa - eleito jogador do ano em 2008 -, com pena de todos, cessou a sua carreira de futebolista ingressando no mesmo ano na de Dirigente, que tem exercido até aos dias de hoje, com o pelouro da Vice-Presidência para a área do futebol.

Na época seguinte à da saída de Rui Costa, o clube volta a conquistar, em 2009/2010, o título nacional, ficando em muitos a ideia da saída prematura do “Maestro” e de que se perdera a oportunidade dum merecido final de carreira apoteótico.

Nestes 11 anos, muitas foram as dúvidas que assolaram o universo encarnado; o passado algo nebuloso de Filipe Vieira, onde se contam velhas amizades e cumplicidades com os principais inimigos do Benfica, o recrutamento para os quadros do clube de gente com fortes ligações aos rivais e a implacável perseguição movida a Vale e Azevedo, ao menor desaire da equipa, punha em causa a bondade do projecto em marcha.

A presença de Rui Costa, o “Maestro”, o jogador-adepto, na estrutura dirigente da SAD, funcionou, e ainda funciona, junto dos adeptos, como garante da fiabilidade do projecto de gestão do clube-sad. A sua presença, “dando a cara” pela Direcção, nos momentos críticos, apazigua-os, constituindo um voto de confiança no projecto de Filipe Vieira.

Para a grande maioria dos benfiquistas, que vêm em Rui Costa uma espécie do provedor do adepto, é impensável considerar a sua conivência com agendas ocultas, irregularidades, ou mesmo a submissão a orientações destituídas de racionalidade económica e, ou, desportiva.

Cinco anos depois do adeus de Rui Costa aos relvados, após uma época desastrosa seguida de debanda geral - na sequência do inesperado desastre da época 2012/2013, o clube perdeu, nada mais, nada menos, que 95 mil sócios - chegou o ansiado ciclo de vitórias, sob a batuta de Jorge jesus, Rui Vitória e Bruno Lage.

Mas não está tudo bem!

Na frente externa a participação do Benfica tem sido desastrosa, a ponto de comprometer o prestígio alcançado no passado. A relativização sistemática dos insucessos tende a substituir a cultura de exigência do clube pela do conformismo.

E é aqui que tudo começa; adeptos permissivos geram equipas permissivas e com permissividade não há títulos. É uma questão de cultura. Estabilidade é diferente de passividade.

O Benfica, o grande Benfica, admirado por esse mundo fora, cultiva a estabilidade na elevada exigência. Estará Rui Costa consciente disso?

Os sucessivos equívocos de gestão desportiva verificados nos últimos anos têm sido de tal monta que a sua imagem junto dos adeptos tem sido afectada. Estes questionam-se acerca da sua efectiva missão no clube-sad.

Está em causa o tipo de vínculo de Rui Costa; se com Filipe Vieira, se com o clube.

Num momento em que se inicia um novo ciclo, o clube-sad depara-se com nova encruzilhada; privilegiar o investimento em betão ou, em alternativa, apostar na competitividade desportiva. Ora o Benfica, o grande Benfica, vive de vitórias e não de betão.

De que lado estará Rui Costa?

Peniche, 22 de Novembro de 2019
António Barreto
Anterior
Prev Post
Seguinte
Next Post

2 comentários via Blogger

  1. do lado dos 15000 por mês, acardita! ( lol!)....

    ResponderEliminar
  2. O Rui, entre a estabilidade sem exigência que agora vive e ter que fazer pela vida como a esmagadora maioria dos adeptos, escolheu a primeira.
    Já todos sabemos que Benfiquista que se preze e defenda o CLUBE, não tem vida longa com Vieira, portanto...
    Bom proveito, Rui!
    Se me cruzar contigo na rua, não te cumprimento!

    ResponderEliminar

Publicar um comentário



Mensagens populares

Dª. Cremilde, quem fala assim não é gaga!!!

Acabei de enviar o mail que a seguir reproduzo:

CREDIBILIDADE!

Depois de mais um desaire, mais uma vergonha, vou ser ou tentar ser muito breve.

Numa das minhas muitas mensagens, escrevi-lhe numa delas que um dia seria corrido a pontapé...

Pois é o que vai acontecer e não vai tardar muito. Se quiser ainda gozar de uma, pouca credibilidade por parte de alguns, já muito poucos, neste momento de alvoroço, de descontrolo, de desespero só tem um caminho a seguir:

 - APRESENTAR A DEMISSÃO

- PROMOVER ELEIÇÕES ANTECIPADAS (agora não lhe convém, não é? A estratégia manda o contrário?!)

- NÃO VOLTAR A CANDIDATAR-SE

Se tiver um pouco de dignidade, o que duvido, deixe o clube pelo seu pé! Mostre que não está agarrado ao Benfica para resolver os seus problemas pessoais.

O Benfica não pode continuar a ser tábua de salvação para quem tanto o maltrata e aos seus sócios e adeptos.

O Benfica sempre foi um clube digno, impoluto e de valores morais inegociáveis!

Não pode continuar a ser humilhado, enxoval…

CARTA ABERTA AOS BENFIQUISTAS.

É com imensa tristeza, imensa vergonha e desmedido desgosto que me dirijo a vós, irmãos benfiquistas.
 Sou benfiquista de alma e coração. E para sê-lo e vivê-lo, ninguém sonha o que sofri para aqui chegar!

Sendo mulher, de outra geração, cujos valores escamoteavam as mais elementares liberdades e cerceavam rente as personalidades mais ousadas, consegui libertar-me e exigir um estatuto de igualdade e vivência sem antolhas e diferenças.

Foi difícil enfrentar um pai que não via com bons olhos uma menina a gostar de futebol! Foi difícil enfrentar uma mãe que não aceitava que perdesse tempo a ver futebol! Já cá não estão, infelizmente!

Se cá estivessem, pedia-lhes desculpa por não seguir os seus conselhos, por não obedecer às suas ideias. Contudo e apesar dos rombos e dos reveses que a vida me proporcionou, sinto um misto de felicidade e orgulho por tudo o que consegui, com luta, com tenacidade, com sacrifício.

Logo que foi possível, tornei-me sócia.

Quis pertencer mais intimamente a esta …

CHEGA, BASTA, Fim de ciclo !!!

Os últimos 4 empates do clube dirigido pelo Vieira & Friends e não por Benfiquistas, conseguiu-se um feito histórico!

E tanto é mais histórico porque foi à custa de 4 clubes que são no panorama do futebol mundial, verdadeiros monstros!!!

Qual Real, qual Barça, qual Bayern, qual Manchester, Liverpool, PSG, Juventus, qual quê!!!


O Portimonense (17º) , Tondela (14), Vitória de Setúbal (11) e Moreirense (9), é que são clubes de TOP, de verdadeira classe mundial!!!

Para não falarmos nas 2 derrotas em nossa casa com o Braga, e outra em casa do clube que está falido!

Benfiquistas de gema;
Querem mais do mesmo?
Queremos ser alvo de mais chacota?
Sermos gozados por qualquer clube mija na escada?
Perder pontos com clubes que têm  3% do nosso orçamento?
Não é altura de arrumamos a casa e expulsarmos os vendilhões do Templo?
Não sentem vergonha de perdermos um campeonato para um clube que está falido?

ACORDEM BENFIQUISTAS !!!

Que mérito têm 90% daqueles jogadores para estar no Benfica?

O grande problema do Vieira é que quebrou um dos princípios básicos da boa gestão e liderança de instituições: a meritocracia.

O Benfica não é uma pequena/média empresa como o Vieira está habituado a gerir, e em muitos casos habituado a afundar.

Numa instituição como o Benfica a meritocracia é fundamental para a liderança. E o problema começa logo pelo presidente: que mérito tem este homem que fez carreira em empresas de pneus e construção civil, com uma passagem por um cube pequeno como o Alverca, para ser presidente de um dos maiores clubes do mundo?

-Um presidente que deu um lugar de diretor ao motorista,
-que escolheu para diretor financeiro um sportinguista sem currículo para o cargo,
-que escolheu o Tiago Pinto para diretor de futebol quando só tinha uma pequena experiencia das amadoras,
-que escolheu o Paulo Gonçalves para assessor jurídico do futebol quando tinha estado envolvido no apito dourado
-e que escolheu para treinador da equipa principal um adjunto com experiencia de …

Só o Lage? E que tal olhar mais acima?

Depois de mais uma humilhação, desta vez na Madeira, leio muitas críticas a Lage.

Como é possível!!!

É evidente que Lage (que me chegou a convencer na última temporada) não tem estaleca
para este comboio de pseudo vedetas, armados em vedetas.

Porque não olharmos mais acima para encontrarmos o verdadeiro culpado disto tudo?

Um clube cujo orçamento é de 90 milhões perde e empata com clube de tostões?
Se o campeonato começasse com estas últimas 13 jornadas, andávamos aflitos nos últimos lugares.
90 milhões atirados pela janela !!!

Nota
Vá lá que posso ir agora a Viseu visitar a família e amigos
Há por lá um pintor da mula russa que pouca vontade terá agora, de me dar uma malha das antigas e me rasgar ao meio, por não dar bibas ao Bieira. Já posso tirar o bigode e as barbas...
Valha-nos isso!!!

Este chumbo pode ser uma rasteira...

Meus caros,
Convém manter a guarda e não entrar em euforismos, porque a procissão ainda não saiu do adro.

Havia uns "boatos" que a estrutura até não se importava de ver chumbado este orçamento para  "CREDIBILIZAR o voto electrónico" e que o mesmo não seja posto em causa nas eleições de Outubro.

Para a estrutura tanto se lhe dá como se lhe deu ser este orçamento chumbado, até  porque há uns anos houve outro chumbado e foi igual ao litro.

Vejam que o chumbo ganhou por apenas 0,49%, apesar do não contar com mais 172 Benfiquistas, o que dá a ideia de estar controlado para além de aceite.

Nas eleições de Outubro temos que estar com os olhos bem abertos, se não queremos passar por lorpas.
Salvo melhor opinião, eis alguns cuidados a ter;

1 - Cartão de sócio a conferir com o cartão de cidadão
2 - A máquina electrónica dá um talão
3 - Esse talão é guardado numa urna selada ou lacrada.
4 - No fim, contam-se os talões e os votos, que serão os mesmos da urna electrónica. Eleme…

Açor venceu a Águia!

Mais um desastre com que nos brinda o  Glorioso!

Não há coração que aguente!!!

Neste momento o Benfica atravessa uma das maiores desilusões desde que foi fundado!
São derrotas atrás de derrotas e empates atrás de empates.

Ter no nosso estádio e nas nossas respeitadas barbas, uma equipa que nunca nos tinha ganho a marcar-nos 4 golos e a tirar-nos 3 pontos, nem ao careca ou maneta lembraria!

Uma clube com orçamento de 90 milhões, perde e empata com equipas de tostões!!!

E quanto a culpados, ninguém se apresenta?
Eu tenho umas luzes de quem seja...

Bruno Lage.

Para mim este sujeito ficou-me atravessado logo no discurso que teve no Marquês.

Num ano em que fomos atacados barbaramente vir falar em dar mérito aos adversários só demonstra o atestado de estupidez que este tipo quis passar a todos os Benfiquistas.

Outra situação que o queimou foi a mudança de chip para esta época.

Aquele Lage que uniu equipa e adeptos em prol de uma recuperação fantástica que nos levou ao título, em que o país parava para ver as suas conferências de imprensa, veio dar lugar a um Lage estranhamente manietado pela direçao, pouco exigente e com um discurso completamente amorfo tal como era o de RV.

Aquele jogo na luz esta época frente a um fcp completamente moribundo em que no jogo todo não fomos capazes de fazer sequer um remate à baliza.. .pensem o que quiserem mas a mim esse jogo não me convence!
Tal como não me convenceu o jogo na luz com frente ao fcp, ainda era RV o treinador, numa altura que estávamos com tudo para marcar, tira os dois melhores jogadores e faz…

O BENFICA NÃO ESTÁ EM CRISE

“O que está em crise são os resultados desportivos.” Quem o diz é Fernando Tavares.

 Está aberta a gaiola dos papagaios que todos os dias surgem em catadupa no canal da propaganda!

 A situação não está favorável a quem, há anos se acha dono do Benfica.

Tem, por isso, que arregimentar toda a força bélica que lhe salve a pele e mantenha o poleiro de luxo que lhe caiu no colo.

 São muitos os fernandos tavares que em desespero pelo tacho, debitam todos os dias loas que elevem o “DONO” e o tentam colocar num pedestal jamais imaginado!

 São estes benfiquistas(?) que hoje pupulam e enlameiam os princípios morais e sociais que deram vida a um clube com história!

 São estes benfiquistas(?) sem sentimentos pelo clube, que envergonham os Fundadores do Sport Lisboa e Benfica!

 São estes benfiquistas(?) que traem os valores que presidiram à Fundação de um clube centenário! 

São estes benfiquistas(?) para quem o Benfica não é um Estado de Alma, mas apenas um meio de sobrevivência e de afirmação …

SAD do Benfica alimentada de rações.

'Rei dos frangos' e a família já controlam mais de 16 por cento da SAD do Benfica

José António dos Santos, presidente da Valouro, revelou a identidade dos acionistas da companhia que em março comprou ações da sociedade José António dos Santos, presidente da Valouro, revelou esta sexta-feira a identidade dos acionistas da companhia que em março comprou ações da SAD do Benfica permitindo ao empresário, em conjunto com a sua família, passar a controlar em conjunto 16,35% do capital da cotada.

O empresário, conhecido por 'Rei dos Frangos', tem uma posição direta de 13,62% da Benfica SAD.

Em março deste ano, José António dos Santos revelou que duas empresas onde é acionista e administador tinham comprado ações da Benfica SAD.

A Valouro comprou 1,9565% da SAD e a Avibom adquiriu mais 0,7485%. Segunto tinha avançado o Expresso em março, estas ações foram vendidas pela Olivedesportos de Joaquim Oliveira.

Esta sexta-feira, cerca de três meses depois José António dos Santos ter…