Rui Costa e o Benfica | Em Defesa do Glorioso
Avançar para o conteúdo principal

Rui Costa e o Benfica

Rui Costa faz parte de um grupo restrito de ex-jogadores do Benfica com lugar especial no coração dos adeptos.

Não tanto pelo que fez no clube enquanto jogador, mas por, em momento conturbado, lhe ter sido leal, ter agido como seu embaixador oficioso num dos grandes palcos do futebol europeu - o italiano -, pelo vínculo afectivo que sempre ostentou com orgulho, e por ter regressado, incondicionalmente, quando o Benfica ainda fazia, angustiadamente, o “caminho das pedras”.

Graças à perspicácia de Eusébio, Rui Costa ingressou nas camadas jovens do Benfica, em 1981, aos 9 anos de idade - após quatro anos nas escolas do Damaia Ginásio Clube -, onde, durante oito anos, com os seus dotes pessoais, assimilou a singularidade e excelência que caracterizam o futebol do Benfica.

Findo o ciclo da formação, após uma época - 90/91 - ao serviço da Associação Desportiva de Fafe, onde permaneceu a título de empréstimo, a jovem promessa regressou ao “clube do coração” em 91, ano em que se sagrou campeão do mundo de sub-20 - em pleno Estádio da Luz contra a seleção do Brasil -, onde permaneceu até 1994, tendo então vencido uma Taça de Portugal - 92/93 - e um campeonato de Portugal em 93/94.

A qualidade do seu futebol, caracterizada pela superior cultura táctica, a elegância e inteligência com que se movia no terreno, a suavidade com que recebia e conduzia a bola, a eficácia que conseguia nos passes longos e no forte remate de meia distância, perfumava os relvados, para gáudio dos espectadores e orgulho dos benfiquistas.

Às qualidades futebolísticas, Rui Costa juntava um cavalheirismo invulgar, graças ao qual granjeou o respeito geral, dentro e fora do clube, entre colegas e adversários, entre os adeptos do futebol, independentemente da respectiva simpatia clubista.

Rui Costa pertence a uma estrita elite de jogadores de futebol que, intrinsecamente vinculados a um clube, alcançaram o respeito e admiração geral. O carácter leal de Rui Costa não vacilou no verão quente de 1993, quando, contrariamente a outros colegas - António Pacheco, Paulo Sousa e João Pinto - declinou o convite de Sousa Cintra - à época Presidente do Sporting - para rescindir o seu contrato com o Benfica e ingressar no clube de Alvalade.

Vivia-se então grande turbulência no clube da Luz, sob a presidência de Jorge de Brito, histórico e indefectível benfiquista, a braços com grave crise de tesouraria e um passivo de 4,5 milhões de contos - equivalente a 22 milhões de euros! Um gesto que nenhum benfiquista que viveu esses temos, esquecerá, reconhecido.



Referenciado na Europa, o “Maestro” ingressou na Fiorentina em 1994, onde, em sete temporadas, conquistou a admiração dos tiffosi, duas taças de Itália e uma supertaça, tendo sido considerado, por várias vezes, o melhor 10 do campeonato, no qual, ao serviço da Juventus, pontificava, nada mais nada menos, que Zinedine Zidane.

Memorável foi o ocorrido no jogo de apresentação da equipa do Benfica para a época 94/95, com a Fiorentina como equipa convidada, em que o “Maestro”, actuando pelos “violas”, se comoveu, às lágrimas, ao marcar o golo que daria a vitória à sua equipa. Algo que consolidou o vínculo afectivo ao clube e calou fundo no coração dos benfiquistas.

De Florença para Milão. Rui Costa, graças a uma transferência milionária - 35 milhões de euros -, ingressou no célebre clube “rossonero” onde se notabilizaram Baresi, Savicevitch, Boban e Cª, e onde, em cinco anos, conquistou uma Taça de Itália, uma Liga dos Campeões, uma Supertaça de Itália, um campeonato italiano e uma Supertaça UEFA, bem como a admiração unânime.

O futebol italiano, um dos mais prestigiados na Europa e no mundo, consagrou Rui Costa, para orgulho dos benfiquistas e adeptos portugueses em geral, como um dos príncipes dos relvados da sua geração.

Foi em 2006, pela mão de Filipe Vieira, que o “Maestro” regressou ao Benfica a custo zero, abdicando duma receita de cerca de 700 mil euros, correspondente a mais um ano de contrato, ao rescindir, amigavelmente, com o clube de Milão.

Vivia-se então, em Portugal, o rescaldo do sucesso, algo amargo, da Selecção nacional no euro 2004, no qual Rui Costa fez a última participação ao serviço da Selecção Nacional.

No Benfica, fustigado desde o verão quente de 93 por uma espiral de instabilidade, a construção do novo Estádio gerara uma nova esperança entre adeptos. Anunciava-se o saneamento financeiro e administrativo do clube e um projecto desportivo ambicioso, sustentado na credibilidade e no investimento em diversas infraestruturas.

O regresso do “Maestro” reforçou, junto dos adeptos, a esperança num futuro radioso para o clube.

Dois anos antes, na época de 2003/2004, o Benfica terminara um jejum de 11 anos do título de campeão nacional. Após duas épocas nas fileiras do clube da Luz, em que o perfume do seu futebol, mais uma vez, deliciou os adeptos, Rui Costa - eleito jogador do ano em 2008 -, com pena de todos, cessou a sua carreira de futebolista ingressando no mesmo ano na de Dirigente, que tem exercido até aos dias de hoje, com o pelouro da Vice-Presidência para a área do futebol.

Na época seguinte à da saída de Rui Costa, o clube volta a conquistar, em 2009/2010, o título nacional, ficando em muitos a ideia da saída prematura do “Maestro” e de que se perdera a oportunidade dum merecido final de carreira apoteótico.

Nestes 11 anos, muitas foram as dúvidas que assolaram o universo encarnado; o passado algo nebuloso de Filipe Vieira, onde se contam velhas amizades e cumplicidades com os principais inimigos do Benfica, o recrutamento para os quadros do clube de gente com fortes ligações aos rivais e a implacável perseguição movida a Vale e Azevedo, ao menor desaire da equipa, punha em causa a bondade do projecto em marcha.

A presença de Rui Costa, o “Maestro”, o jogador-adepto, na estrutura dirigente da SAD, funcionou, e ainda funciona, junto dos adeptos, como garante da fiabilidade do projecto de gestão do clube-sad. A sua presença, “dando a cara” pela Direcção, nos momentos críticos, apazigua-os, constituindo um voto de confiança no projecto de Filipe Vieira.

Para a grande maioria dos benfiquistas, que vêm em Rui Costa uma espécie do provedor do adepto, é impensável considerar a sua conivência com agendas ocultas, irregularidades, ou mesmo a submissão a orientações destituídas de racionalidade económica e, ou, desportiva.

Cinco anos depois do adeus de Rui Costa aos relvados, após uma época desastrosa seguida de debanda geral - na sequência do inesperado desastre da época 2012/2013, o clube perdeu, nada mais, nada menos, que 95 mil sócios - chegou o ansiado ciclo de vitórias, sob a batuta de Jorge jesus, Rui Vitória e Bruno Lage.

Mas não está tudo bem!

Na frente externa a participação do Benfica tem sido desastrosa, a ponto de comprometer o prestígio alcançado no passado. A relativização sistemática dos insucessos tende a substituir a cultura de exigência do clube pela do conformismo.

E é aqui que tudo começa; adeptos permissivos geram equipas permissivas e com permissividade não há títulos. É uma questão de cultura. Estabilidade é diferente de passividade.

O Benfica, o grande Benfica, admirado por esse mundo fora, cultiva a estabilidade na elevada exigência. Estará Rui Costa consciente disso?

Os sucessivos equívocos de gestão desportiva verificados nos últimos anos têm sido de tal monta que a sua imagem junto dos adeptos tem sido afectada. Estes questionam-se acerca da sua efectiva missão no clube-sad.

Está em causa o tipo de vínculo de Rui Costa; se com Filipe Vieira, se com o clube.

Num momento em que se inicia um novo ciclo, o clube-sad depara-se com nova encruzilhada; privilegiar o investimento em betão ou, em alternativa, apostar na competitividade desportiva. Ora o Benfica, o grande Benfica, vive de vitórias e não de betão.

De que lado estará Rui Costa?

Peniche, 22 de Novembro de 2019
António Barreto
Anterior
Prev Post
Seguinte
Next Post

2 comentários via Blogger

  1. do lado dos 15000 por mês, acardita! ( lol!)....

    ResponderEliminar
  2. O Rui, entre a estabilidade sem exigência que agora vive e ter que fazer pela vida como a esmagadora maioria dos adeptos, escolheu a primeira.
    Já todos sabemos que Benfiquista que se preze e defenda o CLUBE, não tem vida longa com Vieira, portanto...
    Bom proveito, Rui!
    Se me cruzar contigo na rua, não te cumprimento!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário



Mensagens populares

Exmº Sr. Luís Filipe Vieira

Diz-se que Samaris não renova porque o agente do jogador não é o seu amigo incondicional Jorge Mendes! Será verdade?


Exmo. Sr. Luís Filipe Vieira

Por motivos de saúde, tenho-lhe dado algumas tréguas. Mas, mesmo em condições deficientes, não posso calar mais a revolta que me causa a gestão danosa, perigosa, criminosa e vergonhosa que tem implementado no meu amado clube.

E desta vez, venho questionar a não renovação de Samaris. Tem visto os jogos deste profissional? Se sim, porquê a não renovação?

Há muito devia estar processada. E como sobre isso não há notícias, outra pergunta me sugere este caso aberrante e inexplicável:

Diz-se, que não renova porque o seu agente não é o seu amigo incondicional Jorge Mendes! Será verdade?

Se sim, é extremamente grave e um dia será julgado e condenado pelo crime de lesa SLB. Sim, porque exijo ao presidente do meu clube que defenda apenas e só os interesses do Benfica!

Se sim e um dia vamos saber toda a verdade, os benfiquistas – mesmo aqueles a quem …

A Máfia, a Maçonaria e o Apito Dourado

Costuma dizer-se que "a verdade é como o azeite, mais tarde ou mais cedo vem à superfície". Apareceu agora o testemunho do ex-juiz José Costa Pimenta, um antigo juiz reformado compulsivamente...



A Maçonaria manda na justiça em Portugal.fonte: http://pulpuscorruptus.blogspot.com

Mas a lei das escutas foi alterada, posteriormente em 2007 (governo Sócrates).

Todos nós sabemos que o primeiro-ministro, Dr. Durão Barroso (Maçon!) à altura dos acontecimentos, tratou de nomear um homem da sua confiança, o Dr. Adelino Salvado, para o cargo de director-geral da Polícia Judiciária.

Foi este canalha corrupto que levou a cabo a tarefa de dar cabo do Apito Dourado, proteger quem era acusado de crimes gravíssimos contra o desporto e a sociedade civil portuguesa, com o de castigar os “culpados”, os inspectores da PJ, Teófilo Santiago, que já tinha estado a cargo da investigação do Aveiro Conecition (um caso em que PC e Reinaldo Teles estavam envolvidos em tráfico de droga) como grandes profi…

Para quando a renovação de Samaris?

Esta noite  foi memorável para o João Félix, e para todos os que lá foram e aos que viram na SIC.

Faltou a marcação de mais um golo, ou o não sofrer o segundo golo deles, para roçar a quase perfeição e viajarmos mais confortáveis para a Alemanha.

Mesmo assim, e atendendo à economia do plantel que o Lage teve que fazer, foi uma bela jogatana com que o nosso Glorioso nos brindou.

O sonho da final é possível.

Gostei da exibição de todos, a não ser o Fejsa que anda um pouco perro nas dobradiças. Florentino neste jogo dava mais garantias mas compreendo o Lage, era juventude a mais...

Mas, a minha pergunta é no sentido de; PARA QUANDO A RENOVAÇÃO DO SAMARIS ???

LFV LIDA MAL COM A CRÍTICA E COM OS BENFIQUISTAS!

LFV tem um complexo intelectual para lidar com a crítica, sobretudo se ela é feita por benfiquistas, a quem despreza e odeia, e por sua vontade, se isso fosse estatutariamente possível, já tinha acabado com essa raça tão exigente e incómoda, que são os sócios, ainda que mal agradecido, precise dos votos destes “chatos empecilhos” para ganhar eleições, porque quanto ao mais, não lhes passa cartão nem confiança nenhuma, e se forem mansinhos e domesticados, tanto melhor, para que a sua liderança não sofra o mínimo desgaste ou contestação.

O que se assistiu na última assembleia geral, foi uma tentativa de resolver com as mãos o que não se consegue explicar pelo argumento da palavra, ao jeito dos ditadores caciqueiros de uma qualquer américa latina, onde nem falta o bigode e o ar sisudo, para lhe conferir mais autenticidade, e que indigna de figurar nos anais da história do Benfica, onde a liberdade e a democracia chegaram cá muito antes do 25 de Abril de 1974 ter chegado ao país, valore…

LFV esmiuçado!

Quase 24 horas depois, fica a minha opinião acerca do que se passou, e do que assisti na última Assembleia Geral do SLB (AG):

Luís Filipe Vieira (LFV) está numa encruzilhada. Está confuso e não entende os sócios. Chama-lhes ingratos e acha-se maior do que o cargo que ocupa. LFV não é O Presidente. Está como Presidente. LFV não entende a diferença, e quem o colocou lá, pode, quando entender, retirá-lo da cadeira que ocupa.

LFV não entende muita coisa. Não entende que não herdou apenas um clube falido. Herdou a maior instituição nacional. Dos muitos méritos que teve, e que ninguém esquece, nenhum se transformou numa carta branca para poder fazer do Benfica, o Benfica que ele deseja.

O Benfica faz-se para o que os sócios querem e para quehonre os valores que são mais antigos que a República Portuguesa. Na cadeira que ocupa, já antes se sentaram Félix Bermudes, Manuel da Conceição Afonso, Júlio Ribeiro da Costa, João Tamagnini Barbosa, Duarte Borges Coutinho, notórios democratas que pres…

Ai Benfica , Benfica estão a matar-te sem dó, nem piedade.

Ser Benfiquista e defender apenas os interesses do Benfica nos dias de hoje é algo muito perigoso para a saúde e integridade física.
Muitos calam-se com medo do que pode acontecer se ousarem criticar o todo poderoso Vieira. Tem família , filhos e são o principal sustento e por muito que amem o Benfica amam mais a sua própria Vida e os filhos .

No Benfica actual ser Benfiquista é encarado como uma ofensa a LFV e um alvo a abater o mais rápido possível.

Um Benfiquista que tenha a audácia de criticar o dono do Benfica , se tiver sorte é ofendido de tudo , ameaçado por "capangas" de violência física na melhor das hipóteses de ficar umas semanitas no Hospital , é mandado para o alho pelo Presidente, se tiver menos sorte leva cacetada desses "capangas" ou é agredido pelo próprio Hitler , peço desculpas , Salazar , peço desculpas por Luís Filipe Vieira.

No entanto se a pessoa a criticar o dono do SLB for de casta Portista é convidado VIP e tratado como um Rei nas Instal…

A VERDADE - pela voz do adepto agredido

A VERDADE Após todas estas horas de silêncio e reflexão, e depois de ter visto tanta falsidade publicada em jornais, transmitida em directos televisivos e mesmo em relatos nas redes sociais de pessoas que alegadamente estiveram presentes na AG de 6ª feira, segue a minha versão dos factos.

Como disse na minha intervenção, dirigi-me à AG de 6ª feira apenas com a intenção de participar na vida activa do Clube, exercer o meu direito de voto em relação ao R&C e ouvir o que outros sócios teriam a dizer, analisando e interpretando o desempenho dos Orgãos Sociais do Clube no último ano e mandato.
Pela 3ª AG Ordinária consecutiva, as primeiras 2-3h da reunião provocaram um incómodo muito grande em mim, irritado pela soberba e sentimento de impunidade que se respiram entre os membros dos Orgãos Sociais do Clube, decidindo então rabiscar meia dúzia de ideias e questões para apresentar em espaço próprio a todos os presentes.

Escrevi uma folha A4 com alguns “tópicos” de que não me queria esqu…

DAS CONVERSAS EM FAMÍLIA ÀS ENTREVISTAS COMBINADAS!

Quando outrora o professor Marcelo Caetano usava os famosos serões de “conversas em família”, como pretexto para vir à televisão sossegar e tranquilizar os portugueses, para também, no fundo, dissuadi-los do mínimo laivo de contestação contra o estado novo, estaríamos longe de imaginar, que passados todos estes anos e usando o mesmo método marcelista, sempre que achar oportuno, LFV recorra também ele aos bons ofícios das câmaras de televisão para dar uma série de “entrevistas combinadas”, sobretudo em vésperas de assembleias, para falar sobre o actual estado do clube, por forma a diminuir o eco das críticas à sua liderança, vindas de benfiquistas mais acutilantes e contundentes que se lhe opõem e que não se deixam iludir pelos pregões fáceis da venda da banha da cobra.

Nestas aparições, que se vão tornando corriqueiras e habituais, LFV nunca muda de registo e é sempre igual a si próprio, vestindo amiudadas vezes, a pele de um merceeiro de contas mentirosas, onde gosta de exibir e amp…

Gestão danosa

Gestão danosa?Ainda não perceberam o negócio ruinoso com a NOS? Sabem para onde vai directamente a mensalidade que pagam pela BTV?

Para o Benfica não é de certeza. É só uma questão de fazerem as contas.

Quando o Benfica tinha os direitos exclusivos dos jogos em casa e da liga inglesa, onde houve um aumento exponencial das assinaturas, conseguia fazer cerca de 22 milhões/ano.

O negócio com a NOS dos tais 400 milhões, bem esmiuçados em 10 anos de duração, dá 40 milhões/ano.

Ou seja, por ano, grosso modo o Benfica recebe anualmente da NOS 40 milhões e deixa de receber os tais 22 milhões que agora vão directamente para a operadora.

 40-22 = 18 milhões/ano, é quanto a NOS paga ao Benfica por ano, ao nível daquilo que nos pagava miseravelmente a Sport TV.

Então não acham que isto é gestão danosa? Não foi só para beneficiar os amigalhaços?

Onde estão os interesses do Benfica salvaguardados?



Essa retórica de andarem sempre a atirar com a frase onde é que estava o Benfica antes do Vieira, j…

Paulo Sousa nunca mais!!!

O Benfica, por Jorge Brito, chegou a disponibilizar carro e motorista para o levar a Viseu para o "piolhoso" visitar a família, família essa que passado algum tempo, pouco ligava.

Este "piolhoso" cujo cheque de ordenado demorou 11 dias a receber...já estava a dormir debaixo da ponte e a comer da sopa do Sidónio?

 O "piolhoso" aproveitou-se de um momento mau que o Glorioso atravessava, mandou às malvas quem fez dele um jogador e o tratou bem, passou-se para o çeportém porque o çeportém lhe prometia metade do dinheiro da transferência para a Juventus.





Sousa Cintra começou a ter orgasmos múltiplos porque se sentia feliz em pôr o Benfica de joelhos...de mão estendida...a esmolar!

(na época passada LFV recebeu essa ESCÓRIA, esse monte de merda  na cadeira presidencial do camarote presidencial...e ainda me dizem que LFV é Benfiquista e que defende os valores e o ADN do Benfica!)

O Çeportém atrasou-se muitas vezes no pagamento de ordenados porque, quando a Juven…