Avançar para o conteúdo principal

EM DEFESA DE SAMARIS!

Como se costuma dizer, não se pode agradar a gregos nem a troianos, e neste equilíbrio salomónico de forças, Bruno Lage não hesitou em saltar para cima da garupa de madeira do cavalo de Tróia, cavalgando irredutível com as suas teimosias até à morte, e se hoje há um grego incontestado a defender a nossa baliza, pela deferência e anuência do seu extraordinário valor, outro grego há, como centro-campista, a quem tem sido cometido um sem número de injustiças sancionatórias, nem sempre percebíveis ou devidamente explicadas ao jogador Samaris e aos adeptos em geral, que vêem um atleta marginalizado e proscrito, apesar da sua insuspeita entrega e brio profissionais dados ao Benfica desde que chegou à Luz e que se viria a tornar num elemento fundamental e preponderante na conquista de títulos, fazendo dele, até pela marca da sua idiossincrasia, um jogador à Benfica muito acarinhado e respeitado por todos.

Desconheço se foi por vontade genuína ou por cedência de muitos pedidos, ou até por remoques de má consciência, que Bruno Lage lhe voltou a atribuir a titularidade em Barcelos, e em boa hora o fez, pois voltou-se às vitórias sem golos sofridos e os motivos e as razões para o dirimir e prolongar desta obstinada opção do treinador, eram de todo inconcebíveis e inaceitáveis.

Até porque, por comparação com o caso do marroquino Taarabt, cujos comportamentos desviantes de insurreição - é bom recordar e lembrar -, andou dois anos a gozar com a paciência do Benfica, desrespeitando regras e condutas internas do clube, mereceu um tratamento e uma atenção completamente díspar da de Samaris, que talvez o único pecado que tenha cometido até hoje e que se lhe possa apontar é o amor e a dedicação que tem ao Benfica e a raça e a garra com que o defende.

Bruno Lage errou clamorosamente quando insistiu “ad nauseum” na titularidade de RDT, possivelmente mais por obrigação de quem o representava e dos 20 milhões de euros que custou do que pelo desempenho desportivo que mostrava, a ponto de ter sido despachado sem direito a devolução?

Bruno Lage também errou quando por vontade própria ou a mando de terceiros, riscou Samaris das suas opções, oscilando entre não-convocado que vai para a bancada ou para o banco de suplentes, completamente esquecido e marginalizado, para fazer uns minutos tão curtos e cronometrados que mais pareciam explícitas ofensas e faltas de respeito gratuitas para com o homem e o atleta?

Samaris, ao contrário de outros estrangeiros do plantel, aprendeu a falar correctamente português, não só porque lhe apeteceu ou quis, mas pelo profundo carinho e admiração que lhe merecem o Benfica e o país que o acolheram, e fazem dele hoje um adepto tão ferrenho e entusiasta como qualquer um de nós, com a particularidade sui generis e diferenciada de que também joga lá dentro por nós, com a mesma atitude e determinação, própria de um símbolo com voz e estatuto de capitão, que aponta com o dedo aos adversários o emblema do Benfica que ostenta na camisola.

Não tenhamos a menor dúvida, Samaris é mais benfiquista do que qualquer engravatado que ande por aí a passear-se pelas tribunas dos estádios, chame-se ele LFV ou DSO, e prova-o dentro e fora das quatro linhas e não precisa de andar a dar entrevistas encomendadas a jornais avençados nem ser o orador fanfarrão nos palcos pífios da web summit, para fazer valer o seu verdadeiro e inquestionável benfiquismo.

Tal como o Samaris: Amo-te, Benfica!
 José Reis
Anterior
Prev Post
Seguinte
Next Post

0 comentários

Apoio de:


Aleatórios

Mensagens populares

As escutas do Apito Dourado foram totalmente legais

    Apito Dourado, a grande mentira das escutas   "Passaram esta quinta-feira 18 anos de um dos maiores escândalos da justiça e mais uns quantos da perpetuação de uma das maiores mentiras que alimenta o mundo do futebol."

A Máfia, a Maçonaria e o Apito Dourado

Costuma dizer-se que "a verdade é como o azeite, mais tarde ou mais cedo vem à superfície". Apareceu agora o testemunho do ex-juiz José Costa Pimenta, um antigo juiz reformado compulsivamente. A Maçonaria manda na justiça em Portugal. pulpuscorruptus.blogspot.com Mas a lei das escutas foi alterada, posteriormente em 2007 (governo Sócrates).

Carta à Cofina

Exmos. Senhores. Começo por vos dizer que sou um Benfiquista e sócio de 4 dígitos. A minha simpatia por tudo quanto é Cofina é nula...como nula é a vossa simpatia pelo meu Glorioso. Neste interim, estamos empatados. Quando estão disponíveis nos cafés, leio por alto as capas do CM, e no Record apenas aquelas duas páginas que dedicam ao Benfica. (normalmente são já notícias requentadas). O Record é mais pró-Sporting. Todos nós sabemos e isso até é o que menos me importa. Cada Jornal segue a linha que quiser. Só compra quem quer! Em casa, passo algumas vezes pela CMTV, mas como as notícias do "assassino" do "pedófilo" da "greve" do "homicida" dos "incêndios" etc etc.. se repetem, repetem, repetem até à exaustão, perco-lhes o interesse e mudo de canal. Mas é outro o assunto que me levou a escrever-vos. Os programas de desporto que vocês exibem todas as noites, onde a barulheira é tal que não se percebe nada do que dizem, a CMTV não