Avançar para o conteúdo principal

HUGO GIL, UM COMBATENTE ABANDONADO

Hugo Gil, que tanto tem dado o corpo às balas pelo Benfica, e sobretudo por esta direcção, compareceu em tribunal, praticamente sozinho e abandonado, pelas testemunhas arroladas por si na defesa, que primaram pela falta de comparência, num processo de que foi alvo, movido pelo jornalista dos croissants e das retretes penhoradas, que praticamente jogou em casa, onde nem não faltou o apoio da guarda pretoriana de alguns elementos do claque dos símios, que só ali estiveram para emprestar uma certa tensão explosiva ao ambiente.

Hugo Gil, que é um soldado da linha da frente, pôde agora comprovar, no terreno de guerra, que alguns cobardes remetem-se a ficar escondidos nas trincheiras somente a dar a voz de comando para os outros avançarem.

É triste e lamentável!

PERDOA-LHES, QUE ELES NÃO SABEM O QUE FAZEM!

- Na verdade, com mais um perdão de dívida, a banca tem sido, como refere e bem RGS, o João Félix do clube dos viscondes falidos, que assim vão passando pelos pingos da chuva sem se molharem, quando a qualquer cidadão, em momentos difíceis da sua vida, as entidades bancárias de crédito são implacáveis e não têm os mesmos procedimentos ou contemplações, que parafraseando a letra de uma canção popular, adaptada às circunstâncias, dir-se-ia que, “quanto mais me deves, mais eu gosto de ti”.

ALGUÉM ME EXPLICA?

- Como é que estando os lagartos, praticamente falidos, e os morcões, sob o escrutínio apertado do fair-play financeiro da UEFA, sem dinheiro para mandarem cantar um cego, e o Benfica, por oposição, numa situação desafogada e invejável do ponto de vista das contas, porque é que, mesmo assim, nessas circunstâncias vantajosas, não se distancia de vez dos seus rivais e ainda lhes permite, como há dois anos, terem quebrado uma hegemonia que se pensava segura?



É só a incompetência desta direcção que explica tudo?

A FORMAR É QUE A GENTE SE ENTENDE!

- Quando DSO, num debate sobre formação, afirma com o ar mais natural do mundo, que o Benfica gere mais receitas com jogadores da formação do que com prémios da UEFA, está a querer passar a mensagem de que não vale a pena dotar a equipa principal de um plantel competitivo para jogar fora de portas, e que se deve apostar as fichas todas nos escalões de formação.

Por outro lado, ao declarar directamente que a formação passou a ser a principal fonte de rendimento do clube, então chega-se à conclusão que a retenção das pérolas saídas de academia do Seixal não passa de uma falácia e de uma mentira, e insere-se numa política assumida de pura estratégia financeira e não desportiva, como de uma forma encapotada nos tentavam vender.

Por isso, caros sócios e adeptos, se no próximo jogo da Champions League, o Benfica não conseguir vencer o Olympique de Lyon, e permanecer na última posição do grupo, não virá daí nenhum mal ao mundo, pois há sempre a possibilidade de se vender um Rúben Dias, um Florentino ou um Gedson e mais os que forem precisos.

Já se viu que o Benfica, seguindo esta linha de orientação, cairá irremediavelmente no desassossego permanente de se tornar num entreposto comercial de jogadores que entram e saem, à mesma velocidade do gosto e da pretensão de empresários mercenários sem escrúpulos, que estão sempre atentos e à espreita da oportunidade do negócio.

Mas como diz o provérbio “dos pequenos não reza a história”, e seria bom que a história do Benfica de Eusébio, que nos tornou grandes na Europa e no mundo, não ficasse hoje incompleta ou se desvanecesse por arrependimentos fingidos de quem não conseguiu, até hoje, cumprir a história do Benfica de Bernardo Silva ou a história do Benfica de João Félix.

Amo-te, Benfica!
José Reis
(NGB)

Anterior
Prev Post
Seguinte
Next Post

0 comentários

Apoio de:


Random Posts

Mensagens populares

FC Porto: Suspeitos de manipulação de resultados

Dirigentes do FC Porto são também suspeitos de manipulação de resultados. 15 jogadores envolvidos no esquema que envolverá Pinto da Costa. Fundos desviados da SAD do FC Porto terão também servido para financiar a alegada manipulação de resultados desportivos e actividades de dirigentes dos Super Dragões.

Benfica, um novo rumo

O regresso de Jorge Jesus ao Benfica deveu-se a critérios não desportivos. A forte oposição que se perfilava para as eleições de 2020 a Filipe Vieira impunha uma aposta mobilizadora dos sócios.

Vieira pôs o Benfica na sargeta!

Desde há um ano que me afastei das "coisas do Benfica".  Até  devolvi o meu cartão de sócio por não me rever no que era o Benfica do vigarista Vieira;  logo eu, que era (e sou, basta ir lá levanta-lo...) sócio de 4 dígitos, qualquer coisa como 6 mil e picos.

A VINGANÇA SÉRVIA(-SE) FRIA!

À ortodoxia do futebol prático e eficiente praticado pela Sérvia, contrapôs Portugal com a catolicidade de um futebol beato e conservador.  O beato Fernando Santos, bem ungido de orações e preces, acendeu uma vela ao Senhor dos Aflitos, que com a agenda totalmente preenchida para questões políticas não foi a tempo de o ajudar e agora o nosso engenheiro, triste e cabisbaixo,