A VERDADE - pela voz do adepto agredido | Em Defesa do Glorioso
Avançar para o conteúdo principal

A VERDADE - pela voz do adepto agredido

A VERDADE

Após todas estas horas de silêncio e reflexão, e depois de ter visto tanta falsidade publicada em jornais, transmitida em directos televisivos e mesmo em relatos nas redes sociais de pessoas que alegadamente estiveram presentes na AG de 6ª feira, segue a minha versão dos factos.

Como disse na minha intervenção, dirigi-me à AG de 6ª feira apenas com a intenção de participar na vida activa do Clube, exercer o meu direito de voto em relação ao R&C e ouvir o que outros sócios teriam a dizer, analisando e interpretando o desempenho dos Orgãos Sociais do Clube no último ano e mandato.
Pela 3ª AG Ordinária consecutiva, as primeiras 2-3h da reunião provocaram um incómodo muito grande em mim, irritado pela soberba e sentimento de impunidade que se respiram entre os membros dos Orgãos Sociais do Clube, decidindo então rabiscar meia dúzia de ideias e questões para apresentar em espaço próprio a todos os presentes.

Escrevi uma folha A4 com alguns “tópicos” de que não me queria esquecer enquanto estivesse no palanque, e vou tentar reproduzir da maneira mais fiel o que foi dito, já que a dita folha acabou abandonada no palanque depois de toda a confusão. Quando regressei para concluir, já não se encontrava lá.



Vou então tentar relatar com a maior exactidão possível a minha versão dos factos e o que disse, pedindo encarecidamente a quem esteve presente que não hesite em corrigir alguma coisa escrita que falte à verdade ou em completar este texto com acontecimentos ou partes do discurso esquecidas por mim.

O meu discurso incidiu sobre os seguintes pontos:

- Lamentar que a AG se realize novamente numa noite de 6ª feira e não numa manhã ou tarde de fim de semana. Acrescentar que tal pode indiciar falta de vontade que as AG’s tenham uma maior adesão e maior número de intervenções

- Pedir um pedido de desculpas formal ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral por ter estado ausente da AG ordinária de há dois anos ou uma justificação pela qual não sente necessidade de o fazer. Referir que para o cidadão Dr. Luís Nazaré o Partido Socialista pode ser mais importante que o Sport Lisboa e Benfica, mas que para o Presidente da MAG do Sport Lisboa e Benfica tal nunca pode acontecer

- Pedir a demissão do Vice-Presidente da MAG pelo comportamento que teve na referida AG a que o Presidente da MAG faltou, ou uma justificação pela qual não sente necessidade de o fazer

- Falar das repetidas entrevistas em que o Presidente da Direcção do Clube promete uma redução brutal do Passivo. Nomeadamente a 1/3/2017 (VER AQUI) e a 23/2/2018 (VER AQUI). Tendo aprovado R&C’s com descidas de Passivo de 18M em 16/17, 41M em 17/78 e naquela noite 14M para 18/19 (os valores podem estar errados, mas são esta ordem de grandeza.
Na altura que rabisquei o tópico tinha comigo o R&C com os números exactos, mas também ficou no palanque), e face à discrepância de valores (Descida de 73M em 2 anos e meio depois da promessa de descida de 200M em 2 anos e descida de 55M em ano e meio após promessa de descida de 100M num só ano), se o Presidente da Direcção teria mentido deliberadamente aos sócios quando deu estas entrevistas, se se tinham enganado nas contas na ordem das dezenas ou centenas de milhões, ou se o plano tinha mudado e os sócios não tinham sido informados

- Falando em milhões - negócio do Félix. Se a política anunciada é a de “reter talento” e “só saem pela cláusula”, os jogadores (os melhores jogadores) têm de cumprir os contratos celebrados de boa fé. Uma cláusula de rescisão batida é uma rescisão unilateral de contrato em que um clube bate à porta da Luz a informar da intenção e o valor total da cláusula cai na conta do Clube. Se o Félix tiver rendido 119,999,999 €, não saiu pela cláusula, a política anunciada aos sócios não está a ser praticada. Se caem 10% na conta de um agente, é porque houve negociação e não uma rescisão unilateral de contrato com cláusula de rescisão accionada

- Continuo à espera do prometido jogo de despedida do Luisão

- Apelar à calma de quem ouve quando discorda do que está a ser dito no palanque. Estes pequenos actos de “pseudoterrorismo” não só enfraquecem quem os pratica ("o atrasado que atirou cadeiras", "o que insultou gratuitamente", etc) como ainda fortalecem a posição que criticam (por exemplo, o Presidente usa sempre o facto de estar a ser insultado para interromper discursos e não responder a perguntas colocadas)

- Falar dos repetidos ataques ao Símbolo e consequentemente aos Estatutos do Clube. Os Estatutos remetem para o Regulamento e o Regulamento é claro e exaustivo na descrição do símbolo. Poupei-me a ler a detalhada descrição. Disse que o “desenho” na capa do R&C vai contra os estatutos do Clube. O “desenho” na contracapa do R&C vai contra os estatutos do Clube. O “desenho” gigante colocado no cenário atrás da Mesa e do palanque vai contra os estatutos do Clube. Eu sei que o sítio onde estão os pés da águia no Símbolo não é a coisa mais importante que viemos discutir aqui hoje, e que todos os nossos problemas fossem esses, mas é só mais um exemplo da facilidade com que os Estatutos são violados ou desrespeitados hoje em dia no Sport Lisboa e Benfica

- Já que falei no símbolo, perguntar o porquê da ausência do Ciclismo no Clube e para quando o seu regresso

- Temos tantas saudades do Rui Vitória que até queríamos que ele voltasse a viver em Lisboa, no outro lado da 2ª circular

- E chegamos ao último ponto, o que provocou aquela reacção do Presidente. Comecei por afirmar “Os senhores não nasceram assim. Vocês não nasceram assim. Eu sei que não estão a perceber o que eu quero dizer mas eu vou tentar explicar-me”. Disse que eu, talvez ingenuamente, acreditava que tinha havido um dia na vida de todos os presentes em que se apaixonaram por este Clube, pelo Sport Lisboa e Benfica, um amor genuíno que nos une ou devia unir a todos, mas que algures no tempo, esse amor genuíno se tinha perdido para muitos membros dos Orgãos Socias do Clube. Que se fosse esse amor limpo a reger todas as decisões que tomam no dia a dia do Clube, não existiriam e-mails, toupeiras, mala ciao, vouchers, Rangel, Paulo Gonçalves, 10%, negociatas obscuras e movimentações sem o conhecimento dos sócios. Tal como em todos os pontos prévios, não me recordo das palavras exactas que usei e tentei reproduzir aqui as ideias que quis passar e o melhor que me recordo do que efectivamente disse. Estou aberto a correcções.

O Vieira (que decerto me perdoará que me refira a ele coloquialmente), passou-se. Flipou. “Snapped”. Foi surreal. Surreal.
Ainda sentado, e durante este último ponto da minha intervenção, começou a gritar “és um merdas!”, “não vales nada!”, “ordinário”, etc. Tudo em acto contínuo, levantou-se e ficou a gritar todos estes insultos e mais alguns a 1 metro de mim, depois subiu ao palanque e levou-me as mãos ao pescoço durante 2 ou 3 segundos (aqui não sei se foi agarrado, penso que não, o meu olhar dividia-se entre os olhos do Vieira e do Presidente da MAG e o nervosismo e estupefacção do momento atraiçoam-me a memória).
Com a subida de tom dos insultos da bancada e inúmeros gritos de “demissão!” durante o que se estava a passar, Vieira aliena-se de mim e dirige-se à bancada, gritando impropérios e oferecendo violência física a quem aceitasse o repto. O vídeo do Record ou da CMTV captura este momento. Voltou para a zona das Mesas e do palanque e continuou a insultar-me, aqui sim com necessidade de ser agarrado pelo Sr. Tiago Pinto e 2 ou 3 seguranças.

Durante todo este período, mantive-me quieto e calado no palanque, alternando o olhar entre o total descontrolo emocional do Presidente da Direcção do Clube e o Presidente da Mesa da Assembleia Geral Luís Nazaré, com gestos do género “não vai fazer nada? O que quer que eu faça?”.

De realçar que não fui agarrado por ninguém, nenhum segurança ou sócio além do Presidente se aproximou de mim ou me tocou, ninguém me convidou a sair do palanque ou me tentou de lá expulsar. Saí por iniciativa própria por não sentir necessidade de acrescentar mais nada ao que tinha sido dito e ao que se tinha passado.
Regressado à zona do lugar onde assisti a toda a Assembleia, apercebi-me que o Presidente da Mesa não tinha usado da palavra para nada - não tinha pedido ordem, não tinha pedido ao Presidente para se comportar, não me tinha pedido para concluir, não tinha dado a palavra a ninguém a seguir a mim – e como tal, oficialmente, a palavra na Assembleia continuava a ser minha.

Voltei a aproximar-me da mesa e a uns 10 ou 20 metros da mesma fiz um gesto ao Presidente da Mesa do género “posso concluir a minha intervenção?”, ao qual o Presidente da Mesa respondeu negativamente.
No regresso à zona do meu lugar, fui impedido de chegar ao mesmo por vários sócios que me pediam que concluísse.
Voltei a aproximar-me da Mesa e fui impedido de falar com o Presidente da Mesa Dr. Luís Nazaré por um segurança. Neste momento, dois membros da Direcção vieram falar comigo, com toda a calma e educação (Sílvio Cervan e um outro, não sei se Varandas Fernandes se Fernando Tavares, os momentos sucederam-se rápido e a memória volta a pregar partidas) e um deles afirmou ter-se sentido ofendido pelas minhas palavras.
Eu esclareci que na minha óptica não tinha insultado ninguém, e garanti que se voltasse a usar da palavra não seria para incendiar ainda mais os ânimos.
Estes membros da Direcção pediram ao Dr. Luís Nazaré que me deixasse concluir e o mesmo disponibilizou-me “15 segundos” para o efeito. Nesta intervenção lamentei o que se tinha acabado de suceder, sublinhando que durante o meu discurso tinha pedido exactamente um esforço adicional aos presentes para que tal não se sucedesse (mal sonhando eu que o comportamento mais repreensível da AG seria tido pelo próprio Presidente da Direcção e não por um qualquer sócio), pedi desculpa pela minha parte de responsabilidade (que acredito ser mesmo muito pequena) e sublinhei que a intenção do que disse era apontar a ausência de transparência nos actos de gestão do Clube, e que podíamos e devíamos ter um Sport Lisboa e Benfica mais limpo e transparente.

Posteriormente, ainda falaram 3 ou 4 sócios que ficaram com as intervenções completamente esvaziadas pelo que aconteceu. Gostaria de lhes pedir as minhas mais sinceras desculpas por terem perdido a oportunidade de apresentar as suas ideias e questões na reunião magna do Clube.
Peço também desculpa a todos os sócios que discursaram antes de mim, alguns deles com intervenções riquíssimas, e que não viram resposta às questões levantadas devido em parte a este lamentável acontecimento.

No início do discurso do Vieira, e como que em resposta às incontáveis exigências de um pedido de desculpas e até de demissão, ele afirmou que o que eu tinha dito em determinadas circunstâncias poderia ser punido (e não detido, como escreve o jornal ABola) mas que eu já me tinha retratado do que disse na 2ª intervenção.
Do meu lugar, fiz o gesto de negação com o indicador repetidamente, e o Vieira chamou-me ao palanque para me explicar. Voltei ao palanque, apertei-lhe a mão, e sublinhei que estava a apontar a falta de transparência e idoneidade de muitos dos que nos dirigem.

Vieira pediu-me exemplos. O primeiro de que me lembrei foi os sócios não saberem que percentagem do passe dos jogadores do Benfica pertencem ao Clube, e que percentagens de outros jogadores fora do Clube também lhe pertencem.
Desafiei-o ainda a exemplificar que partes da minha intervenção poderiam na sua óptica “ser punidas”, porque para mim tal não era verdade, não tendo obtido qualquer resposta a esta pergunta.

Afastei-me do palanque por não querer participar na operação de branqueamento e desvalorização do que se tinha passado, que já se estava a iniciar ali mesmo. Depois disto, o restante discurso do Vieira foram 5 ou 10 minutos da cassete do costume, e não sei repetir uma única frase do que foi dito. Posteriormente a AG foi encerrada e abandonei o recinto sem qualquer tipo de problema.

Foi isto que se passou.
Peço a todos os presentes que detectem alguma falta à verdade ou esquecimento de algo que tenha sido dito ou se tenha passado que me corrijam. Peço contenção a comentar o assunto a quem não esteve presente e já tece juízos de valor em praça pública. Ontem, já José Nuno Martins, André Ventura, Jaime Antunes ou José Calado tentavam branquear o acontecimento e desculpabilizar comportamentos imperdoáveis.

Aspectos que quero realçar:

- Não faço parte de nenhuma claque ou grupo de sócios.
- Não escrevo em nenhum blog.
- Não escrevo em nenhum fórum.
- Ninguém sabia o que eu iria dizer na minha intervenção.
- Não combinei nada com ninguém.
- Dirigi-me à Assembleia com 2 amigos com quem tinha combinado ir na véspera e encontrei por lá outros 2.
- Não sou influenciado por nenhum tipo de interesses.
- A minha intervenção foi motivada apenas e só pelo Benfiquismo puro e limpo que referi na mesma e que não vejo a motivar as decisões de quem nos dirige.
- As notícias publicadas (como no CM de hoje) que falam em conspiração de um grupo de sócios são inequivocamente falsas.

- Dirigi-me a todas as pessoas que interpelei com toda a calma e respeito. Olhei todas as pessoas a quem me dirigia nos olhos.
 Na 1ª interacção com cada um deles, dirigi-me ao membro da Mesa/Direcção em questão com um Exmo. Sr. (Título do cargo que ocupa).

Nas interpelações que se sucederam utilizei sempre os termos “Sr Presidente”, “Presidente da Direcção”, “Caros membros da Direcção”, etc.

Não subi o tom nem desci o nível (quem discordar disto que me corrija e fundamente). Durante toda a minha intervenção, não fui interrompido pelo Presidente da Mesa uma única vez. Não fui advertido por me estar a exceder. Não fui avisado que estava a insultar ninguém. Não me foi retirada a palavra. Nada. A reacção que descrevo do Presidente da Direcção foi a primeira (e única) interrupção à minha intervenção

- Muitas pessoas elogiaram a minha presença de espírito ou frieza durante tudo o que se passou. Não aceito totalmente o elogio porque, num primeiro momento, não foi o caso – estava apenas completamente estupefacto com as atitudes do Presidente (tal como 99% dos presentes), e na minha cabeça só dava um “Por favor lembra-te de quem é que és e de onde é que estás. Lembra-te de quem é que és e onde é que estás. Lembra-te quem és e onde estás! LEMBRA-TE QUEM ÉS E ONDE ESTÁS!”. Mais nada. Posteriormente posso ter tido uma calma elogiável, naquele momento não foi o caso

- Quando o Presidente me chamou de volta ao palanque, tomei uma decisão consciente e outra inconsciente na minha intervenção. A decisão consciente foi a de não tentar apagar um fogo com gasolina. Facilmente poderia ter tido declarações que incendiassem ainda mais a Assembleia com consequências muito imprevisíveis.
A decisão inconsciente consistiu na minha resposta ao Presidente quando o mesmo pediu exemplos da falta de transparência a que me estava a referir. Aqui, nervoso com tudo o sucedido, referi o primeiro exemplo que me passou pela cabeça, o desconhecimento pelos sócios das percentagens de passes que o Clube possui.
É um exemplo pertinente, mas aquele que considero ser o mais pertinente, o que motivou o último ponto da minha intervenção, é o dos sócios do Sport Lisboa e Benfica não conhecerem a lista total de acusações jurídicas feitas ao Clube ou a qualquer funcionário do Clube, no passado ou no presente, assim como a versão do Benfica dos factos. Era este o exemplo que deveria ter referido

- Não tive qualquer problema à saída da Assembleia. Não fui ofendido nem agredido por qualquer outro sócio presente. Ninguém “apertou” comigo depois. Fui ao jogo ontem e o meu Redpass obviamente não tinha sido cancelado. Até ao momento, não senti qualquer tipo de represálias ou ofensas, excepto as tristes intervenções de figuras públicas ligadas ao Clube

- Não senti medo nem insegurança durante toda a Assembleia e desde então. O sentimento que se instalou é o de uma enorme tristeza por todo o sucedido, pelo estado actual do Benfica e por as perspectivas de mudança serem tão longínquas.

- Peço a todos os presentes que pensem no que aconteceu. No que é o Benfica para eles. Na distância que vai do que o Sport Lisboa e Benfica é para o que o Sport Lisboa e Benfica devia ser, e ajam em conformidade com essa vontade/desejo que têm de mudança. De um Benfica melhor, limpo, o maior, melhor e mais lindo Clube do Mundo.

Muito obrigado a todos pela atenção e disponibilidade dedicadas na leitura deste texto. Terei todo o gosto em responder a todos os comentários pertinentes e educados. A única coisa que gostaria de pedir a todos os sócios é a de que nos unamos e ajudemos para que todo o sucedido fique registado em Acta e não seja apagado da História do Sport Lisboa e Benfica.

Informem-se, participem, intervenham!

O Sport Lisboa e Benfica merece.
Anterior
Prev Post
Seguinte
Next Post

5 comentários via Blogger

  1. Respostas
    1. Podes querer, meia dúzia de homens e benfiquistas assim, está corja tinha sido corrida à muito...

      Eliminar
  2. Parabéns pela coragem na denúncia da verdade, é um exemplo nos dias de hoje. Eu sou sócio há 30 anos, costumo ir às AG de aprovação de contas, até porque faço parte desse mundo (das contas) e aprecio a discussão do tema. No entanto, também me causa repulsa não se conhecerem factos que, na ótica do sócio, constituem dúvidas credíveis acerca da real situação do clube em certas matérias. Por outro lado, entendo que, nos dias de hoje, a informação é utilizada pelos nossos inimigos, que são muitos e poderosos, contra nós. Ate as fake news abundam e são utilizadas por benfiquistas com agenda própria. Portanto, decidi não ir à AG. Verifico que o meu alheamento é já um factor negativo que em nada contribui para a melhoria do estado do Benfica, mas entendo ser mais que isso, um alheamento do futebol em geral, apenas porque não me identifico com os agentes, ideias, e politicas do mesmo. Gosto de ver a equipa a jogar e nada mais, porque o amor é imenso, e nada mais. O estado do futeluso é degradante, como se observa através, por exemplo, de mais uma canalhice posta em campo e mais tarde em papel por um ordinário que se apela de "juiz", mas depois o que se vê fazerem os nossos órgãos sociais, a nossa Direção, que faça a defesa do Benfica, que mostre a nossa repulsa, o nojo que foi presenciar tudo aquilo ao vivo e a cores? NADA. E nada é o que podemos fazer nós, simples sócios pagantes, detentores de RED PASS, que acompanham a equipa em casa e fora, sem organização. Nada se pode fazer a não ser esperar que alguém sério se chegue à frente nas próximas eleições, alguém bem diferente e que seja credível. E essa figura, lamentavelmente, ainda não apareceu. Melhores dias virão dirão os otimistas. Cumprimentos benfiquistas.

    ResponderEliminar
  3. Caro associado do Sport Lisboa e Benfica,

    desta vez não estava na bancada, mas sim nas cadeiras no piso do pavilhão.

    Para mim, a AG já estava a ser negativamente marcada pelos comentários que ia ouvindo, de pessoas com muita responsabilidade na estrutura, que estavam bem próximas de mim. Bem como pelo facto de ver sócios a filmarem intervenções de amigos, perante a inoperância de seguranças.

    A parte da agressão é surreal, muito provavelmente o momento mais vergonhoso da História do Benfica. Já vou escrever um texto no NGB sobre isso. Não me leves a mal Viriato. Apenas dizer que preferi não escrever a quente, e observar o que se passou nas 48 horas pós-momento twilight zone.

    ResponderEliminar
  4. pareces educado e objectivo. São pessoas com o teu benfiquismo que precisamos à cabeça do clube. Tenho a certeza que se fosses presidente do SLB não tinhas permitido o horrivel contrato com a NOS que obriga os benfiquistas à pagar para ver o seu proprio canal e não tinhas "betonado" com cimento o espirito de muitos benfiquistas que agora so sonham com receitas, academias, hoteis, supermercados, hospitais, e porquê não, um dia, uma autoestrada particular que irà direitinho do Seixal até ao estadio da LUZ com nova ponte sobre o Tejo de uso exclusivo etc, etc...Viva o benfiquismo, Viva o Benfica

    ResponderEliminar

Enviar um comentário



Mensagens populares

A Máfia, a Maçonaria e o Apito Dourado

Costuma dizer-se que "a verdade é como o azeite, mais tarde ou mais cedo vem à superfície". Apareceu agora o testemunho do ex-juiz José Costa Pimenta, um antigo juiz reformado compulsivamente...



A Maçonaria manda na justiça em Portugal.fonte: http://pulpuscorruptus.blogspot.com

Mas a lei das escutas foi alterada, posteriormente em 2007 (governo Sócrates).

Todos nós sabemos que o primeiro-ministro, Dr. Durão Barroso (Maçon!) à altura dos acontecimentos, tratou de nomear um homem da sua confiança, o Dr. Adelino Salvado, para o cargo de director-geral da Polícia Judiciária.

Foi este canalha corrupto que levou a cabo a tarefa de dar cabo do Apito Dourado, proteger quem era acusado de crimes gravíssimos contra o desporto e a sociedade civil portuguesa, com o de castigar os “culpados”, os inspectores da PJ, Teófilo Santiago, que já tinha estado a cargo da investigação do Aveiro Conecition (um caso em que PC e Reinaldo Teles estavam envolvidos em tráfico de droga) como grandes profi…

Exmº Sr. Luís Filipe Vieira

Diz-se que Samaris não renova porque o agente do jogador não é o seu amigo incondicional Jorge Mendes! Será verdade?


Exmo. Sr. Luís Filipe Vieira

Por motivos de saúde, tenho-lhe dado algumas tréguas. Mas, mesmo em condições deficientes, não posso calar mais a revolta que me causa a gestão danosa, perigosa, criminosa e vergonhosa que tem implementado no meu amado clube.

E desta vez, venho questionar a não renovação de Samaris. Tem visto os jogos deste profissional? Se sim, porquê a não renovação?

Há muito devia estar processada. E como sobre isso não há notícias, outra pergunta me sugere este caso aberrante e inexplicável:

Diz-se, que não renova porque o seu agente não é o seu amigo incondicional Jorge Mendes! Será verdade?

Se sim, é extremamente grave e um dia será julgado e condenado pelo crime de lesa SLB. Sim, porque exijo ao presidente do meu clube que defenda apenas e só os interesses do Benfica!

Se sim e um dia vamos saber toda a verdade, os benfiquistas – mesmo aqueles a quem …

Para quando a renovação de Samaris?

Esta noite  foi memorável para o João Félix, e para todos os que lá foram e aos que viram na SIC.

Faltou a marcação de mais um golo, ou o não sofrer o segundo golo deles, para roçar a quase perfeição e viajarmos mais confortáveis para a Alemanha.

Mesmo assim, e atendendo à economia do plantel que o Lage teve que fazer, foi uma bela jogatana com que o nosso Glorioso nos brindou.

O sonho da final é possível.

Gostei da exibição de todos, a não ser o Fejsa que anda um pouco perro nas dobradiças. Florentino neste jogo dava mais garantias mas compreendo o Lage, era juventude a mais...

Mas, a minha pergunta é no sentido de; PARA QUANDO A RENOVAÇÃO DO SAMARIS ???

LFV LIDA MAL COM A CRÍTICA E COM OS BENFIQUISTAS!

LFV tem um complexo intelectual para lidar com a crítica, sobretudo se ela é feita por benfiquistas, a quem despreza e odeia, e por sua vontade, se isso fosse estatutariamente possível, já tinha acabado com essa raça tão exigente e incómoda, que são os sócios, ainda que mal agradecido, precise dos votos destes “chatos empecilhos” para ganhar eleições, porque quanto ao mais, não lhes passa cartão nem confiança nenhuma, e se forem mansinhos e domesticados, tanto melhor, para que a sua liderança não sofra o mínimo desgaste ou contestação.

O que se assistiu na última assembleia geral, foi uma tentativa de resolver com as mãos o que não se consegue explicar pelo argumento da palavra, ao jeito dos ditadores caciqueiros de uma qualquer américa latina, onde nem falta o bigode e o ar sisudo, para lhe conferir mais autenticidade, e que indigna de figurar nos anais da história do Benfica, onde a liberdade e a democracia chegaram cá muito antes do 25 de Abril de 1974 ter chegado ao país, valore…

LFV esmiuçado!

Quase 24 horas depois, fica a minha opinião acerca do que se passou, e do que assisti na última Assembleia Geral do SLB (AG):

Luís Filipe Vieira (LFV) está numa encruzilhada. Está confuso e não entende os sócios. Chama-lhes ingratos e acha-se maior do que o cargo que ocupa. LFV não é O Presidente. Está como Presidente. LFV não entende a diferença, e quem o colocou lá, pode, quando entender, retirá-lo da cadeira que ocupa.

LFV não entende muita coisa. Não entende que não herdou apenas um clube falido. Herdou a maior instituição nacional. Dos muitos méritos que teve, e que ninguém esquece, nenhum se transformou numa carta branca para poder fazer do Benfica, o Benfica que ele deseja.

O Benfica faz-se para o que os sócios querem e para quehonre os valores que são mais antigos que a República Portuguesa. Na cadeira que ocupa, já antes se sentaram Félix Bermudes, Manuel da Conceição Afonso, Júlio Ribeiro da Costa, João Tamagnini Barbosa, Duarte Borges Coutinho, notórios democratas que pres…

Ai Benfica , Benfica estão a matar-te sem dó, nem piedade.

Ser Benfiquista e defender apenas os interesses do Benfica nos dias de hoje é algo muito perigoso para a saúde e integridade física.
Muitos calam-se com medo do que pode acontecer se ousarem criticar o todo poderoso Vieira. Tem família , filhos e são o principal sustento e por muito que amem o Benfica amam mais a sua própria Vida e os filhos .

No Benfica actual ser Benfiquista é encarado como uma ofensa a LFV e um alvo a abater o mais rápido possível.

Um Benfiquista que tenha a audácia de criticar o dono do Benfica , se tiver sorte é ofendido de tudo , ameaçado por "capangas" de violência física na melhor das hipóteses de ficar umas semanitas no Hospital , é mandado para o alho pelo Presidente, se tiver menos sorte leva cacetada desses "capangas" ou é agredido pelo próprio Hitler , peço desculpas , Salazar , peço desculpas por Luís Filipe Vieira.

No entanto se a pessoa a criticar o dono do SLB for de casta Portista é convidado VIP e tratado como um Rei nas Instal…

Agarra que é ladrão!

Aos poucos vão-se sabendo os contornos da teia criminosa que os dragartos engendraram na tentativa de pôr "o Benfica de joelhos"... tal como prometia o Soisa Sintra no verão de 1994 mas que foi recebido há 3 semanas na melhor cadeira da nossa Catedral, como se de um amigalhaço de longa data se tratasse. É por estas e por outras que... bem, mas vamos ao que importa;

O Benfica Eagle escriba do NGB, servindo-se de várias fontes, banqueteia-nos hoje com uma prosa muito bem articulada. Ali se comprova que há muita malandragem, onde estão incluídos num caldinho muito bem apimentado, elementos da justiça, deputados, antigos colegas de curso do hacker, baluartes manhosos, Canal do Porto mentiroso, viagens à Hungria, jogadores que circulam a troco de favores do tipo uma mão lava a outra...



Membro do Painel do Porto Canal que comentava os e-mails, conhece o Hacker. Diogo Faria estudou com Rui Pinto!

"Hoje existe outra revelação bombástica que merece destaque, e que liga o Hacker …

Carta à Cofina

Exmos. Senhores.
Começo por vos dizer que sou um Benfiquista e sócio de 4 dígitos. A minha simpatia por tudo quanto é Cofina é nula...como nula é a vossa simpatia pelo meu Glorioso. Neste interim, estamos empatados.

Quando estão disponíveis nos cafés, leio por alto as capas do CM, e no Record apenas aquelas duas páginas que dedicam ao Benfica. (normalmente são já notícias requentadas). O Record é mais pró-Sporting. Todos nós sabemos e isso até é o que menos me importa. Cada Jornal segue a linha que quiser. Só compra quem quer!

Em casa, passo algumas vezes pela CMTV, mas como as notícias do "assassino" do "pedófilo" da "greve" do "homicida" dos "incêndios" etc etc.. se repetem, repetem, repetem até à exaustão, perco-lhes o interesse e mudo de canal.

Mas é outro o assunto que me levou a escrever-vos.

Os programas de desporto que vocês exibem todas as noites, onde a barulheira é tal que não se percebe nada do que dizem, a CMTV não faz bem…

DAS CONVERSAS EM FAMÍLIA ÀS ENTREVISTAS COMBINADAS!

Quando outrora o professor Marcelo Caetano usava os famosos serões de “conversas em família”, como pretexto para vir à televisão sossegar e tranquilizar os portugueses, para também, no fundo, dissuadi-los do mínimo laivo de contestação contra o estado novo, estaríamos longe de imaginar, que passados todos estes anos e usando o mesmo método marcelista, sempre que achar oportuno, LFV recorra também ele aos bons ofícios das câmaras de televisão para dar uma série de “entrevistas combinadas”, sobretudo em vésperas de assembleias, para falar sobre o actual estado do clube, por forma a diminuir o eco das críticas à sua liderança, vindas de benfiquistas mais acutilantes e contundentes que se lhe opõem e que não se deixam iludir pelos pregões fáceis da venda da banha da cobra.

Nestas aparições, que se vão tornando corriqueiras e habituais, LFV nunca muda de registo e é sempre igual a si próprio, vestindo amiudadas vezes, a pele de um merceeiro de contas mentirosas, onde gosta de exibir e amp…